October 23, 2019

 

Hoje de manhã estava a vir para o trabalho no meu C2 e no pára-arranca da A5 ultrapassei um Ferrari que tinha ido abaixo. Apontei, urrei e gozei com o tipo que ia ao volante. Estava tão entretido que me distraí e nem reparei que tinha batido no separador da auto-estrada. Mesmo acidentado, continuei a gozar com o gajo do Ferrari, enquanto ele passava por mim a toda a velocidade. Que totó [ele, não eu]…

 

Toda esta cena, para além de deliciosa, seria simplesmente parva, mas há aqui um pequeno senão: isto nunca aconteceu (algo que como sabemos não incomoda nada um bom adepto de futebol. Vide número de títulos actualizados do Sporting cof cof). O que aconteceu realmente, e foi identicamente parvo, foi eu ter escrito no facebook um post durante o intervalo do Besiktas – Benfica, no qual dava nota de que o Benfica tinha espetado seis ao Marítimo para a Taça, marcado três golos em meia parte ao Besiktas e era o melhor clube português, tudo factos – atenção que isto não é a parte parva – e ter sido gozado por adeptos do Sporting e do FC Porto, por tê-lo feito – finalmente a parvoíce é desvendada.

 

 

Senão vejamos, um dia antes do jogo do Benfica, Sporting e FC Porto entraram em campo. Os verdes e brancos perderam em casa com o Real Madrid e confirmaram a saída da Liga dos Campeões, bastando agora que percam na Polónia para terminarem de vez a sua epopeia europeia deste ano (bastante possível para quem viu as últimas duas exibições do Legia frente a clubes bem melhores que o Sporting). Apesar de terem apenas três pontos, e de terem perdido todos os jogos contra os seus adversários directos à passagem, os sportinguistas estão muito orgulhosos na sua prestação na Liga, fruto da dificuldade do grupo.

 

grupo-sporting

 

Já o FC Porto, que está no grupo mais acessível da história da Champions, conseguiu somar o segundo empate contra o poderoso Copenhaga. Ainda por cima um empate a zero, que dá vantagem aos dinamarqueses em caso de empate pontual no grupo, uma vez que empataram a um golo no Dragão. O que é preciso para ambas as equipas terminem o grupo com o mesmo número de pontos? Basta que o FCP não ganhe ao Leicester, estreante nesta andanças, já qualificado e que ainda não sabe o que é perder na Europa, e que o Copenhaga ganhe em Brugge, algo que não deve ser particularmente difícil, visto que os belgas têm a maravilhosa e muy redonda soma de zero pontos nesta edição da Champions.

 

grupo-porto

Ou seja, portistas e sportinguistas divertiram-se imenso a gozar com o único clube português que lidera o seu grupo e que só depende de si (basta ganhar em casa ao Nápoles) para ser cabeça de série na fase de mata-mata da liga milionária. Tá ‘Serto’!

 

grupo-benfica

 

Atenção, eu nunca estaria feliz com um empate em Istambul, muito menos obtido desta forma, mas prefiro de longe ficar chateado com um empate com sabor a derrota, que celebrar orgulhosamente uma vitória com sabor a vitória moral. Enfim, são gostos.

 

Porque raio estão os nus a fazer troça do roto? Porque a fanfarronice faz parte do futebol (e ainda bem), sobretudo em competições como a Champions, em que os clubes portugueses parecem miúdos a nadar na piscina dos adultos, e o máximo que podem aspirar é ver quem se aguenta mais tempo na zona fora de pé, leia-se, atingir os quartos-de-final.

 

Apesar de ter algo de ridículo, toda a risota é justificada pelo velho ditado “cá se fazem, cá se pagam”, não é nação benfiquista?

guimaraes

 

Entretanto, outra das novas obsessões do futebol português veio ao de cima: a maldição dos minutos a que se sucedem os eventos dramáticos. Depois do minuto 92, agora o minuto 88 [lê-se oitchenta e ôtcho].

 

oitenta-e-otcho

 

O incrível é que a sede de protagonismo é tanta que deu lugar a precipitação. Dezenas de pessoas dedicaram o seu tempo e talento a fazer memes e publicações sobre o minuto 88 e ninguém se deu ao trabalho de verificar que o golo do nada saudoso Aboubakar [só é saudoso para quem agora tem Depoitre como segunda opção para o ataque] foi marcado ao minuto 89! Quem duvidar pode confirmar na ficha de jogo oficial.

 

Às vezes quando a cegueira é demasiado grande dá lugar a pérolas como esta.

 

89

 

Amigos, quanto ao número 88 podem espingardar tudo o que quiserem, que há apenas um único facto com esse número que vale a pena referir: Um pormaior da tabela classificativa final da época 2015/2016. Tudo o resto são histórias tiradas de almanaques menos sérios que os do Tio Patinhas.

 

88

 

O inferno benfiquista é o céu em que sonhavam estar os rivais que agora nos gozam. Não passam de Xerifes carregados de fanfarronice, a todos cito as imortais palavras do Capitão Nascimento [e de todos rio como o miúdo que o precede].

 

 

No fundo esqueçam tudo o que viram por aí e foquem-se no único resumo fidedigno [e de chorar a rir, como sempre] do que foi esta noite europeia, feito com a isenção e qualidade inquestionável do Cota do Bigode.

 

 

Pedro Filipe

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE