December 8, 2019

Com os torneios de preparação para o US Open a aproximarem-se a passos largos do calendário dos principais tenistas da hierarquia mundial, decidi levar-vos numa breve perspectiva do que podemos esperar para os próximos torneios que serão decisivos na revalidação de pontos obtidos na temporada transacta ou na obtenção de mais pontos já nas próximas semanas e durante todo o mês de Agosto.

 

Vejamos o caso de Rafael Nadal, actualmente no segundo posto do Emirates ATP Rankings, que no verão passado arrasou em grande parte dos torneios da US Open Series, culminando na vitória em Flushing Meadows, no US Open. Nadal venceu dois torneios Masters 1000 que agora lhe poderão complicar as contar e aumentar a distância para o agora estabelecido no número 1, Novak Djokovic.

 

Pois bem, tendo ganho o Rogers Cup, no Canadá, Nadal terá agora a defender 1000 pontos. Já neste mesmo evento, Novak Djokovic chegou apenas às meias-finais (perdendo para o próprio Nadal), o que implica que terá que defender no Canadá apenas 360 pontos. Caso o tenista sérvio chegue pelo menos à final, estará já aí a somar mais pontos e a dilatar confortavelmente a sua distância para Nadal, no número 2 do ranking. (Lembro que se Djokovic chegar à final e perder, ganhará mais 240 pontos e caso vença o torneio do Canadá somará mais 640, face aos pontos obtidos neste mesmo torneio).

 

No outro torneio arrecadado pelo tenista maiorquino, o Masters 1000 de Cincinnati, Novak Djokovic perdeu para o gigante da casa, John Isner, logo nos quartos-de-final, portanto restam-lhe apenas 180 pontos a defender, contrariamente aos 1000 pontos de Nadal.

 

A derradeira prova será, obviamente, o US Open, onde Rafael Nadal se consagrou campeão na temporada transacta. Os seus 2000 pontos estarão também em risco, caso não consiga revalidar o sempre difícil título em terras do tio Sam. Já Djokovic, quererá certamente dar continuidade à soma de títulos do Grand Slam, agora que acaba de arrecadar o seu segundo título em Wimbledon, perfazendo a soma já de sete títulos nos majors. No US Open, Djokovic foi travado, na edição passada, na épica final de quatro sets contra o vencedor da prova, Rafael Nadal. Fruto disso, Djokovic terá 1200 pontos a defender. Conseguirá engordar a sua soma de títulos do Grand Slam em Flushing Meadows? Que palavra terá Rafael Nadal a dizer no major norte-americano? E quem poderá mostrar-se como dark horse nesta sempre temível prova? Poderá o renovado Roger Federer causar mossa aos seus adversários? E Wawrinka, que é feito do fulgor que vimos exibir em Melbourne, no Australian Open, logo no início da temporada? Murray revelará já frutos da sua parceria com Amélie Mauresmo? E já agora, voltando as nossas atenções para o ténis nacional, que alcança esta semana a sua melhor posição no Emirates ATP Rankings, com o 35º posto, poderá João Sousa igualar ou melhorar a sua extraordinária prestação nos EUA, obtida com a chegada à terceira ronda e com a conquista de uns preciosos 90 pontos?

 

É certo que um percurso quase contínuo de sucessivas vitórias, como o do ano passado para Rafael Nadal, por esta altura da temporada, traz consigo também muita pressão na revalidação destes pontos, mas, por seu turno, os seus adversários também não poderão baixar a guarda. Embora a História e o mundo das estatísticas nos mostre que o campeão de 14 títulos do Grand Slam nunca conseguiu revalidar um título em hard-court na sua já lendária carreira, como sabemos, o seu espírito gladiador faz com que seja sempre uma difícil equação a resolver por qualquer dos seus opositores!

 

Sara Vicente

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE