December 13, 2019

 

Faltam poucos minutos para o Benfica defrontar o Braga para as meias-finais da Taça da Liga, apenas três dias depois do último jogo do campeonato. Apesar do jogo na Madeira ser apenas domingo, é inegável que muitas das últimas exibições da equipa encarnada têm sido marcadas pelo cansaço acumulado de uma época desgastante, sobretudo nesta última fase e devido ao “sucesso” na Liga dos Campeões, pelo que a estratégia para este jogo só pode ser uma: poupar os titulares, e fazer o melhor possível com os restantes, que, invariavelmente, para o Benfica é isto…

O ano passado o Benfica ganhou a sua 6ª Taça da Liga em 8 edições da prova…

 

Sim, na Taça da Liga, a vitória é acessória. A competição nunca se conseguiu impor, apesar de em TODAS as edições alterar as regras, de forma a tentar ficar mais relevante no panorama do futebol nacional, a verdade é que nunca o conseguiu. A acrescer a isto tenho medo que se ganharmos essa porcaria mais uma vez comecemos a ficar sem espaço no museu para os títulos que realmente interessam, como as Taças Latinas e isso…

 

Agora mais a sério, para mim o Benfica tinha sempre que se apresentar na Taça da Liga com os seus jogadores menos utilizados (era uma forma de os ver em acção) e até com elementos da equipa B ou dos Juniores que o merecessem (que melhor incentivo para os jovens atletas? Qual é o adepto que não gosta de ver os seus miúdos estrearem-se?).

 

O pior é que os patrocinadores querem tudo menos isso. Em Portugal uma competição que não tenha os 3 grandes não é rentável (por isso tiveram que arranjar forma de eles estarem presentes até na Segunda Liga), e é ainda mais rentável se estes estiverem na sua máxima força competitiva, claro. Sabendo disso, e da pouca importância que clubes e adeptos lhe atribuem, os organizadores da competição decidiram colocar no seu Regulamento o original artigo 15º que versa assim:

 

Obrigatoriedade de participação de jogadores

  1. A partir da segunda fase, inclusive, os clubes são obrigados a fazer participar nas suas equipas em cada jogo pelo menos cinco jogadores que tenham sido incluídos na ficha técnica (efetivos ou suplentes) em um dos dois jogos oficiais imediatamente anteriores da época em curso, salvo caso de força maior, comunicado à Liga com a antecedência mínima de cinco dias antes da realização do respetivo jogo e, desde que, os motivos invocados sejam considerados pela Liga como justificados.
  1. Os clubes são também obrigados a incluir na ficha técnica como efetivos, em cada jogo disputado, pelo menos dois jogadores formados localmente, tal como definidos no Regulamento das Competições (atual n.º 3 do artigo 77.º).
  1. Os jogadores incluídos na ficha técnica nos termos do número anterior têm que ser utilizados em pelo menos 45 minutos do jogo, salvo em caso de força maior.

 

Resumindo, e traduzindo em linguagem não jurídica, os clubes são obrigados a convocar pelo menos cinco jogadores que tenham feito parte das duas convocatórias anteriores, e são obrigados a utilizar, pelo menos, durante 45 minutos, dois miúdos da formação.

 

Tanto uma como outra regra me parecem aberrantes, por limitarem as opções dos treinadores. Não encontro justificação para um treinador que quer escalar uma equipa com base no plantel e nas aspirações que tem ao troféu, ter de o fazer com base em imposições legais para agradar a patrocinadores. É absurdo,mas os clubes, como precisam de todos os trocos que conseguirem, venham eles de onde vierem pactuam com isto (lembrem-se que esta é a organização que queria obrigar clubes a ter jogadores chineses nos planteis. acho que já estivemos mais longe de vermos os XI’s oficiais escalados por comissários da Liga de Clubes, enfim… é o país que temos).

 

Alguém passou a dar mais relevância à competição por causa disto? NÃO, mas como sempre nos sistemas ditos “liberais” triunfou o capital dos patrocinadores, e assim são as regras pelo que hoje, às 19:45, lá teremos forçosamente de ver alguns habituais titulares do Benfica entrarem em campo (em modo “serviços mínimos”), contra a sua própria vontade, a do seu treinador e a do seu público, que não vai comparecer em massa por causa disso no estádio, mas para agrado dos senhores que mandam nos correios.

 

A sério, quando vejo mer%$# destas pergunto-me “era, ou não era mandar um selo a quem decide isto?”.

 

Pedro Filipe

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE