December 7, 2019

 

Caros leitores,

 

Tal como prometido, aqui estou a emendar o engano da crónica da semana passada. Na realidade o Presidente do Belenenses de 2011 a 2014 foi António José Soares e não Rui Pedro Soares, como havia dito. Aos intervenientes, ao Clube e aos Adeptos as minhas sinceras desculpas.

Anexo I

 

Apresentadas as desculpas, vamos ao primeiro jogo do Belenenses na Liga NOS, e que jogo! O resultado espelha a emoção vivida em campo, 3-3, em que o Belenenses esteve a perder por 0-1, virou para 3-1 e deixou-se empatar.

Começando por abordar o trabalho de Hugo Ventura, este foi um jogo para esquecer. Largou quase todas as bolas rematadas à baliza, sendo este um dos seus pontos fracos, no meu entender, pois é preciso agarrar a bola sem medos. Aos 26m fez um remate fraco, não segurou a bola que sobrou e foi golo do Rio Ave. No segundo golo não tem culpas, embora pudesse ter feito melhor, e o terceiro golo surge de uma jogada rápida que também não dá hipóteses. Aos 93m ia deitando tudo a perder em nova bola que não segurou.

 

Depois na defesa, os laterais (André Geraldes e Filipe Ferreira) fizeram um jogo mais ou menos tranquilo, sendo que se nota ainda alguma falta de ritmo do Filipe Ferreira. Os centrais (Gonçalo Brandão e Tonel) fizeram também um jogo razoável, sendo que o Gonçalo marcou um golo e o Tonel ficou mal na fotografia no terceiro golo.

 

No meio campo, o Ruben Pinto foi o elo mais fraco, embora tenha marcado um golo, não esteve ao seu nível. O André Sousa fez mais um bom jogo, com garra e querer. O Carlos Martins está a revelar-se de extrema importância no plantel, faz mexer a equipa, marca golos (nem que seja de penalty) e nos 79m que esteve em campo, esteve sempre a um bom nível. O João Vilela, que o substituiu, nada mais acrescentou.

 

Nas alas Dálcio foi para esquecer, é rápido, dribla bem, mas neste jogo não se viu nada tendo sido substituído pelo Miguel Rosa que melhorou muito a estabilidade da equipa, foi uma espécie de lufada de ar fresco.

Por outro lado o Fábio Sturgeon esteve em grande, está a crescer, sem medos foi para cima dos adversários e merecia o golo, infelizmente não conseguiu mas ajudou a equipa a desequilibrar. Para mim o melhor em campo.

 

No ataque o Abel Camará, que para mim é mais ala que Ponta de Lança, esteve bem sem comprometer, arrancou um penalty, mas penso que não é a melhor posição para ele. Foi substituído aos 68m pelo João Traquina que também mexeu no jogo, foi rápido nas transições, ainda a tentar entrosar-se na equipa, mas com uma boa réplica. Eu jogador de quem eu espero muito!

 

Deixo-vos aqui o resumo do jogo para tirarem as vossas ilações.

Anexo II

 

A partir desta crónica lançarei a pontuação das “Crónicas de um Pastel de Belém”, que pretende ser uma avaliação, jogo a jogo, de todos os jogadores. É pontuada de 0 a 9 e reflete a minha opinião pessoal sobre a prestação de cada jogador.

Tabela de pontuação da 1ª Jornada:

pontuação

 

Depois desta análise, hoje jogamos o acesso à fase de grupos da Liga Europa contra o SCR Altach, que eliminou o Vitória de Guimarães, mas que na sua Liga está mal classificado, tendo perdido o último jogo frente ao Salzburgo por 2-0, ocupando a 9ª posição com 3 pontos, 5 golos marcados e 9 sofridos em 5 jogos (4 derrotas e 1 vitória).

Acredito que o Sá Pinto saberá montar uma equipa com vontade e querer, e que este Altach está ao alcance do Belenenses, embora no futebol haja surpresas, tal como aconteceu com esta mesma equipa frente ao Guimarães.

Para mim este será o onze inicial, sem grandes surpresas:

 

Hugo Ventura

Anexo III

 

João Amorim

 Anexo IV

 

André Geraldes

Anexo V

 

Gonçalo Brandão

Anexo VI

 

Tonel

Anexo VII

 

Rúben Pinto

Anexo VIII

 

André Sousa

Anexo IX

 

Carlos Martins

Anexo X

 

Fábio Sturgeon

Anexo XI

 

Miguel Rosa

Anexo XII

 

Abel Camará

 

Aqui fica o onze no campo:

Anexo XIV

assinatura

 

Hugo Morgado

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE