December 7, 2019

 

Caros leitores,

 

No passado sábado tivemos mais uma demonstração da incapacidade tática do treinador e a sua má leitura de jogo. Permitam-me que reflita sobre estas primeiras jornadas. Como é que é possível insistirmos num ataque que não marca golos? Porque razão não damos oportunidades a quem no passado já tantas alegrias nos deu? Fará pior? Duvido… Temos 4 jornadas feitas, dois golos marcados em que 1 foi por um Defesa Central e outro pelo adversário. Porque não apostar no Tiago Caeiro? Ele é o nosso Ibra!

 

 

Posto isto, em relação ao jogo com o Setúbal houve jogadores que demonstraram realmente ser merecedores da titularidade, falo de Muriel, Florent, Tandjigora, Diogo Viana e Filipe Chaby. Estes são para mim aqueles que nos dão garantias de um jogo seguro.

 

Entretanto ficámos a saber que temos um novo elemento para o ataque, nada mais nada menos que o filho do treinador! 🙂

 

 

Quanto aos jogadores que jogaram deixo a minha leitura:

 

Muriel Becker* – Enorme Guarda-Redes, com intervenções acima da média e demonstra uma vincada liderança em campo, algo que já não se via para os lados do Restelo à algum tempo. Pela forma decisiva com que manteve o jogo empatado, escolho-o como melhor em campo

– Florent Hanin – Que dizer da entrega do Florent? Muito bem tanto defensivamente como ofensivamente, tanto mais que não teve qualquer apoio do Roni no processo defensivo

– Gonçalo Silva – Não houve nenhum lance que pudesse comprometer a sua exibição

– Vincent Sasso – Leva amarelo aos 87 minutos por protestos e foi expulso aos 91 minutos por uma entrada dura

– André Geraldes – Fez um jogo discreto

– Yebda – É capaz do melhor e do pior, para mim não jogava mais

– Merlin Tandjigora – O Tandji é o motor do nosso meio campo, dono de uma visão de jogo quase perfeita aliado a uma resistência física invejável fez mais um belíssimo jogo

– Filipe Chaby – O Maestro da equipa, com ele no leme temos magia a acontecer, incompreensível a sua substituição ao minuto 73, altura em que o Belenenses apagou de vez e deixou o Setúbal atacar a seu belo prazer

– Diogo Viana – Irreverente, esteve bem em todo o jogo tanto no ataque como a ajudar defensivamente o André

 

 

– Roni – Jogou fraco. Corre muito para a frente e sem usar a cabeça, para trás e para apoiar defensivamente esteve de greve

– Maurides – Não consigo perceber o Maurides, a época passada chegou e entrou bem na equipa a marcar golos e com sentido de baliza… Neste jogo falhou dois lances inacreditáveis e ainda “deixou” que fosse o Gonçalo Paciência a fazer o golo embora tenha festejado intensamente

– Femi Balogun – Entrou para substituir um apagado Roni e só acrescentou o apoio defensivo

– Persson – Entrou para substituir o Filipe Chaby e o jogo ofensivo do Belenenses faleceu nesse momento

 

Queria falar ainda do Vídeo Árbitro, vulgo VAR, para elogiar a forma como foi anulada a decisão da marcação do penalty a favor do Belenenses, uma vez que na realidade não existiu, mas não poderia deixar passar que ficou um penalty no fim do jogo por marcar a favor do Vitória de Setúbal. Podem ver as imagens aqui:

 

Não é penalty, boa decisão

 

Penalty por assinalar

 

Agora teremos a pausa no campeonato para os compromissos internacionais que coincide também com o fecho de mercado. Aguardemos para ver o que nos reservará o mercado, pois penso que precisamos de pelo menos um defesa central e como vamos jogar na próxima jornada em Vila das Aves.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hugo Morgado

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE