October 19, 2018

 

Ces sont les meilleures équipes

Sie sind die allerbesten Mannschaften

The main event

Die Meister

Die Besten

Les Grandes Équipes

The Champions

Une grande réunion

Eine große sportliche Veranstaltung

The main event

Ils sont les meilleurs

Sie sind die Besten

These are the champions

Die Meister

Die Besten

Les grandes équipes

The champions!

 

Estamos todos ansiosos para ouvir esta música. Hoje, a partir das 17:55 (a Champions tem um novo horário, 17:55 e 20 horas) começa a primeira jornada da maior competição de clubes do planeta. Mas vamos por partes. Ou melhor, por grupos.

 

 

GRUPO D

 

A coesão do balneário do FC Porto é uma das suas maiores armas

 

 

 Começo pelo fim. O grupo D é o grupo do FC Porto, não tem nenhum tubarão do futebol europeu, mas todas as equipas parecem capazes de ganhar umas às outras. Os portistas parecem mais fortes, mas vão ter de mostrar isso em campo. “Sim, Paulo, todas as equipas têm de o fazer”, consigo ouvir-vos a pensar. E não é mentira, mas este é um grupo perigoso, sem um claro favorito e um claro elemento mais fraco. Os campeões nacionais têm obrigação de passar à próxima fase mas, num grupo onde todos parecem poder ganhar a todos, um passo em falso pode por em causa o futuro na competição.

 

Os comandados de Sérgio Conceição defrontam o Schalke 04 às 20 horas num campo de boa memória, pois foi em Gelsenkirchen que, há pouco mais de 14 anos, os dragões de Mourinho conquistaram o maior troféu mundial de clubes. Esta época os azuis e brancos levam quatro vitórias em seis jogos (em todas as competições), com 17 golos marcados e sete sofridos, perderam metade da defesa titular na temporada transacta, mas mantiveram a espinha dorsal. Casillas, Felipe, Alex Telles, Herrera, Brahimi e Marega continuam no clube (não sem algum drama à mistura) e isso só pode ser uma boa notícia. Os Dragões têm tudo para poder seguir em frente no primeiro lugar do grupo.

 

A imagem é de Gelsenkirchen, mas é o FC Porto que está no relvado

 

O Schalke 04 é um clube curioso, tanto faz grandes épocas como fica muito aquém das expectativas, mas tem sempre bons valores e algumas promessas nas suas fileiras, como são os casos de Nastasic, Naldo, Bentaleb, Rudy, Harit ou Embolo. Está a ter um início de época desastroso, com três derrotas em outros tantos jogos da Bundesliga, facto ao qual não deve ser alheia a perda de jogadores da qualidade de Max Meyer, Goretzka e Pjaca. Em condições normais, serão os segundos classificados do grupo mas precisam de fazer muito melhor do que têm feito até aqui.

 

O Galatasaray está de volta aos grandes palcos europeus

 

O Galatasaray é orientado pelo lendário Fatih Terim (é a 12ª época, não consecutiva, aos comandos da equipa de Istambul). Os turcos contam com jogadores experientes como Muslera, Nagatomo, Belhanda, Derdyiok ou Feghouli, e juntam-lhes os ex-portistas Maicon e Fernando. Estão a fazer um bom campeonato, com quatro vitórias em cinco jogos (14-6 em golos) e prometem complicar as contas do grupo.

 

Eder e Manuel Fernandes, a armada portuguesa do campeão russo

 

Por último, temos o Lokomotiv. A equipa de Moscovo, orientada por Yuriy Semin, conta com os portugueses Manuel Fernandes e, o herói de Paris, Éder, num plantel bastante experiente, onde pontificam jogadores como Corluka, Howedes, Krychowiak, Denisov ou Farfán. Estão a fazer uma época decepcionante, com duas vitórias em sete jogos da liga russa, e parecem ser a equipa mais fraca do grupo, mas ganhar na Rússia nunca é fácil, que o diga Napoleão.

 

GRUPO A

 

O grupo A começa com um embate entre portugueses, com o Atlético de Madrid de Gelson Martins a enfrentar o Mónaco de Leonardo Jardim e Ronny Lopes. No outro jogo, o Dortmund de Raphael Guerreiro vai até à Bélgica medir forças com o Club Brugge.

 

Este ano, os grupos parecem estar mais equilibrados, com três equipas por grupo com grandes hipóteses de seguir em frente e o grupo A não foge à regra. Atlético, Mónaco e Dortmund, todos têm legítimas hipóteses de seguir para os oitavos-de-final, com o Brugge a ser o claro underdog.

 

O célebre festejo de Griezmann, que se sagrou campeão do mundo no verão

 

 

O Atlético de Simeone parece ser o mais forte candidato a seguir em frente, com Mónaco e Dortmund a decidirem qual segue em frente e qual cai para a Liga Europa. Oblak, Godín, Koke, Saúl, Lemar, Griezmann, Diego Costa ou o português Gelson Martins são nomes mais do que suficientes para causar o pânico a qualquer equipa. Teve um arranque em falso, com apenas uma vitória em quatro jogos de La Liga, mas duvido que os colchoneros não comecem a recuperar a boa forma em breve.

 

Leonardo Jardim vai orientar o Mónaco em mais uma liga milionária

 

Por seu lado, os comandados de Leonardo Jardim ainda parecem estar numa fase de reconstrução após a sangria que o plantel sofreu há duas épocas, com as saídas de metade da equipa titular que chegou à semi-final da competição. Prometem dar luta, mas com apenas uma vitória nos seis jogos que já realizaram esta época, o Mónaco parece mais inclinado para o terceiro lugar que para o segundo.

 

Juventude e irreverência são a imagem de marca do Dortmund

 

O novo Dortmund de Lucien Favre está a prometer muito, com um futebol excitante e recheado de jovens talentos, como Pulisic, Sancho, Weigl, Dahoud e muitos outros, como o nosso Raphael Guerreiro. Tem três vitórias em quatro jogos e uma delas por 4-1 frente ao RB Leipzig. Eu avisei, promete.

 

O plantel do Clube Brugge

 

Se o Club Brugge conseguir ser mais do que o saco de pancada do grupo ficarei muito admirado. Leva seis vitórias em sete jogos na liga belga, mas a Champions é um “bicho” muito diferente.

 

GRUPO B

 

É o grupo que inaugura um novo horário da Champions, com os jogos a começarem às 17:55, e promete duelos excitantes entre Barcelona, Tottenham, Inter e PSV. O Barcelona-PSV e Inter-Tottenham podem servir como demonstrações de intenções.

 

Suárez, Messi e Dembélé. Triple threat de La Masia

 

O Barcelona de Messi, Suárez, Coutinho, Dembélé, Semedo e companhia é o claro favorito a seguir em frente, ainda para mais quando o argentino, no seu discurso de estreia como capitão, prometeu “fazer tudo pela Champions”. Os catalães jogaram cinco partidas e tiveram o mesmo número de vitórias, perderam o mago Iniesta (ainda não consigo aceitar que vai haver uma Champions sem Don Andrés) mas reforçaram-se bem com Arthur, Vidal, Malcom e Lenglet. O plantel parece ter mais soluções do que na temporada transacta e isso só pode ser mau sinal para os rivais, contem (novamente) com os blaugrana para seguir em frente.

 

Lucas Moura veio adicionar poder de fogo a um Tottenham já fortíssimo na construção ofensiva

 

Segue-se o Tottenham. Os Spurs de Pochettino são os mais sérios candidatos a acompanhar o Barcelona à próxima fase, têm uma equipa jovem, dinâmica, com enorme propensão ofensiva e com um dos melhores avançados do mundo, Harry Kane. Junta-se-lhe Son, Alli, Eriksen e Lucas Moura e temos um ataque absolutamente demolidor. É uma equipa de tudo ou nada, em cinco jogos tem três vitórias e duas derrotas, mas todos sabemos como a Premier League é imprevisível.

 

O regresso do Inter à Champions é celebrado por (quase) todos os adeptos do desporto rei

 

O Inter de Spalletti continua a desiludir, com apenas uma vitória em quatro jogos, cinco golos marcados e quatro sofridos. Inexplicavelmente o clube de Milão parece continuar a ser um cemitério de treinadores e jogadores, com o português João Mário a nem sequer ser inscrito na Champions. Os italianos, longe da glória de outros tempos, devem lutar com os holandeses do PSV pelo terceiro lugar que dá acesso à Liga Europa.

 

O PSV tem poucos motivos para rir com o grupo que lhe calhou em sorte

 

O clube de Eindhoven, comandado pelo ex-internacional Van Bommel, tem no mexicano Lozano a sua grande figura. Levam cinco vitórias em outros tantos jogos na liga holandesa e uns impressionantes 21 golos marcados contra três sofridos. Mas todos sabemos como as defesas da Eredivisie são fortes. Certo, Martins Indi?

 

GRUPO C

 

Tenho pena do Crvena Zvezda (Estrela Vermelha para os amigos). Inserido num grupo com PSG, Liverpool e Napoli, não se antevêem tempos fáceis para o conjunto sérvio. O Crvena Zvezda começa por receber o Napoli enquanto que os parisienses viajam até Liverpool para se digladiarem com os Reds.

 

Firmino, Salah e Mané o triunvirato que reina em Anfield

 

A equipa de Klopp parece ser a mais forte candidata a seguir para a próxima fase, com um plantel muito bem construído, uma intensidade própria das equipas do treinador alemão e o trio ofensivos composto por Salah, Mané e Firmino, um dos melhores do futebol actual. Os Reds levam cinco vitórias em cinco jogos da Premier League, com 11 golos marcados.

 

Alguém consegue somar o valor desta foto só de parte do plantel do PSG?

 

O PSG de Tuchel promete ser um caso sério, só não os coloco em primeiro lugar porque é a época de estreia em Paris do treinador que substituiu Klopp no Dortmund. Sou um admirador do trabalho de ambos e, com um plantel tão rico como o do PSG, Tuchel tem apresentado um futebol que está a anos-luz do dos seus rivais na Ligue 1. São cinco jogos, cinco vitórias (onde já vi isto?) e 17 golos marcados. E se o Liverpool tem um grande trio na frente, o que dizer do tridente Cavani-Neymar-Mbappé?

 

Felizmente para os napolitanos o seu futebol é bem mais bonito que os seus equipamentos

 

O Napoli promete vender cara a passagem. Trocou de treinador, saiu Sarri e entrou Ancelotti (do qual não sou grande fã) mas manteve grande parte do plantel. As saídas mais sonantes foram as de Reina para o Milan e Jorginho para o Chelsea. Até ao momento, os Azzurri têm três vitórias e uma derrota em quatro jogos, com um peculiar registo de seis golos marcados e seis sofridos. Mertens, Hamsik, Insigne e Milik podem ferir qualquer defesa, e contam com a ajuda dos cruzamentos do português Mário Rui para isso, mas não devem conseguir melhor do que o terceiro lugar e a passagem para a Liga Europa.

 

O ambiente de Belgrado é a principal arma do Estrela Vermelha nos jogos em casa

 

Comecei com o Crvena Zvezda (não é mesmo nada fácil dizer isto) e acabo com eles. É mais um daqueles clubes que domina totalmente a sua liga (sete jogos, sete vitórias, 22 golos marcados e três sofridos) mas que já não tem o nível que teve noutros tempos. Deve servir apenas para os restantes clubes melhorarem os seus índices ofensivos.

 


 

Todos os jogadores de UEFA Champions Fantasy League cliquem na imagem e juntem-se à liga Entre Linhas. O código de acesso é 344723EJ

 

Paulo Correia

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE