April 23, 2018

Toda a nação Portista compreendeu que era inevitável o afastamento do sr. Paulo Fonseca. Pinto da Costa tinha-o colocado numa posição irrevogável nos termos do contrato, esquecendo-se que hoje em dia os dicionários “inconseguem” conter a tamanha inspiração que ocorre na Língua Portuguesa, nomeadamente em presidentes de assembleias.

 

A saída, demasiado tardia para a nação Portista (na minha opinião nunca deveria ter substituído o sr. Vitor Pereira: campeão sem derrotas), veio apaziguar a descrença e fazer acreditar que, com a magia do “Harry Potter” do F.C. Porto (Quaresma), esta equipa ainda conseguisse lutar pelo título. Está à vista o “inconseguimento” de tal feito, embora tal ainda não seja irrevogável.

 

Tenho de falar da 23ª jornada: Sporting 1 – 0 Porto. Sempre defendi que os árbitros “inconseguem” ser 100% perfeitos. O Sporting teve a sorte do jogo, pois faturou um golo de uma jogada criada de uma posição irregular, algo que era defendido pela direção do Sporting que deveria ser “irrevogavelmente conseguido” que não acontecesse mais à equipa do Sporting. Não aconteceu ao Sporting, aconteceu ao Porto. Okay…

 

Interessante pensar que a verdade desportiva é pretendida por quase todos os clubes, mas para já é “inconseguível” face às lacunas humanas inerentes a qualquer árbitro e à decisão aparentemente irrevogável dos dirigentes da FIFA e UEFA em introduzir meios tecnológicos no futebol (sendo irrevogável, há que manter a esperança!!).

 

Agora, como portista, há que pensar nas restantes competições:

– 20/03/2014 – Liga Europa – O Porto leva vantagem de 1 golo para Itália. Será suficiente? Honestamente, penso que se o Porto não marcar 1 golo em Itália, não passará!

 – 26/03/2014 – Taça de Portugal – Porto – Benfica: Neste momento, penso que o Benfica tem capacidade para ganhar, com relativa facilidade, ao Porto. As razões são bastante simples: 1) O Porto sofre golos consecutivamente em todos os jogos. 2) O Benfica sempre que marca um golo, domina os jogos e acaba goleando. Acima de tudo, desejo um bom jogo de futebol, com uma arbitragem “irrevogavelmente” sem erros.

– ??/??/2014 – Taça da Liga – Porto – Benfica: Acreditando que o Porto joga este jogo, e não tenha sido apenas uma decisão “irrevogável” do conselho de disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, reitero o que disse para o jogo da Taça da Liga.

 

No entanto, a nação Portista nunca vai deixar de ser exigente com a equipa. Este campeonato mostrou que o Porto não deve contratar treinadores com egos e com falhas de discurso. Há que enfrentar os adversários com humildade, acreditando que com treino e bom futebol se alcançarão os objetivos e não apenas acreditar “cegamente”!

 

Agora com este novo treinador (que veio da Equipa B), Luís Castro, o Porto poderá recuperar algum espírito para as restantes competições que “irregovavelmente não são inconseguíveis”, mas pergunto: Onde é que eu já vi este filme?

 

Rafael Cunha

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE