December 14, 2019

 

Na época 2010/2011 Marco Silva despedia-se dos relvados como jogador profissional de futebol. O antigo lateral-direito fez um total de 264 jogos e marcou 4 golos. Não foi de todo uma carreira brilhante. Formado no Cova da Piedade e em Belém, foi passando por vários clubes, como Campomaiorense, Rio Ave, Sporting de Braga B, Salgueiros, Odivelas, acabando por se fixar no Estoril-Praia tendo lá jogado desde de 2005/2006 até ao fim da sua carreira.

 

Marco Silva [em cima, segundo a contar da esquerda] aqui ainda jogador ao serviço do Estoril-Praia

 

Na época após ter pendurado as botas, o Estoril despediu o seu treinador, Vinícius Eutrópio, ao fim de apenas 9 jogos, tendo a confiança da direção recaído em Marco Silva para lhe suceder. A aposta não poderia ter sido mais ganha No seu primeiro ano como treinador o Estoril ganhou a 2ª liga e, consequentemente, conseguiu a promoção à 1ª Liga.

 

Ora, muitos nem ligaram, outros diziam que tinha sido um golpe de sorte, mas a verdade é que no ano de estreia de Marco Silva na 1ª liga, o Estoril, uma equipa recém-promovida, acabou no 5º lugar, com acesso às competições europeias, e para confirmar que não houve sorte, mas sim muita competência e capacidade no alcançar do feito, no ano seguinte conseguiu fazer ainda melhor, levando o Estoril a um brilhante 4ª lugar da 1ª Liga Portuguesa.

 

As duas melhores épocas da história recente do Estoril-Praia foram conseguidas às mãos do jovem treinador

 

Após a saída de Leonardo Jardim para o Mónaco, o Sporting necessitava de alguém competente para o cargo, portanto, sem grande surpresa, a escolha recaiu em Marco Silva, que assim deixou o Estoril ao fim de 3 épocas onde conseguiu superar sempre as mais altas expectativas. O ano no Sporting talvez tenha sido o mais difícil para Marco, a título profissional. Um ano com muita especulação por parte da imprensa, muitos barulhos dentro do próprio grupo, mas mesmo assim Marco Silva conquistou um título para o Leões, coisa que já não acontecia há muito tempo. Apesar da conquista continuou a polémica no seio do clube, tendo a história acabado com o seu despedimento. A razão? Não ter vestido o fato oficial do clube num jogo da Taça de Portugal, a competição que tinha conquistado para o clube pouco tempo antes.

 

Olympiakos foi o desafio que se seguiu, e foi superado com distinção, tornando-se campeão grego com recorde de pontos e vitórias. Apesar do sucesso, Marco Silva decidiu abandonar o projeto por motivos pessoais.

 

Segue-se agora talvez o desafio mais interessante e mais difícil da sua curta carreira de treinador: Evitar a despromoção do Hull City da Premier League. Pegou num clube que está à venda, numa equipa com poucos jogadores de qualidade, cheia de lesões e que se encontrava no último lugar da tabela classificativa. Para complicar as contas, o calendário era caótico com três jogos contra o Manchester United, e ainda Chelsea, Liverpool e Arsenal, num curto espaço de tempo. Apesar das várias criticas de que Marco Silva foi alvo por parte da imprensa inglesa quando chegou ao cargo, agora é elogiado, pois em pouco tempo transformou uma equipa caótica numa equipa organizada que luta por cada lance como se fosse o último, e , mais importante, tem conseguido pontos preciosos para garantir a manutenção, tendo empatado em Old Trafford e ganho em casa ao Liverpool.

 

E o que lhe chamam agora os críticos ingleses que tanto o criticaram? The New Special One! Será que vai conseguir surpreender tudo e todos, conseguindo manter o Hull City na Premier League? Ou será que apesar de ter deixado os seus adeptos a sonhar, a descida de divisão é mesmo inevitável? Bem, isso são questões cuja resposta só teremos no final da época, mas pessoalmente penso que Marco Silva vai conseguir alcançar o objectivo, pois tem uma grande capacidade de perceber, não só o jogo, mas também os jogadores, e isso é meio caminho andando para ter sucesso.

 

David Juliao

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE