December 8, 2019

O título é em modo de lamento, lamento por ver em prática o velho ditado “burro velho não aprende línguas!” E porque se aplica este ditado a Kobe Bryant?! Porque ao fim de 2 jogos, apenas 2 jogos, Kobe voltou a ser Kobe, um jogador com a bola nas mãos em cada jogada.

 

É verdade que estamos a falar de um dos melhores da história do jogo, há quem diga que é o melhor, há quem diga que não o é, eu acho que é um jogador do top 3.

 

Mas o que me leva a escrever sobre Kobe, não é o seu lugar na história do jogo, é o papel que Kobe poderia, e deveria, ter neste momento nos Lakers. Kobe teve dois jogos seguidos a assistir na casa das dezenas e, curiosamente, os LAL ganharam ambos. Ao terceiro jogo, o rapaz decidiu lançar 22 vezes (?!?) tendo acertado apenas 8 lançamentos.

 

Eu bem sei que esta é a verdadeira genética de Kobe, marcar, e para marcar tem de lançar. Mas após a lesão da época passada, e porque os anos passam por todos, muito se questionou se Kobe teria a capacidade de voltar a ser o jogador decisivo que foi e o rapaz voltou esta época com dois objectivos, primeiro apanhar Jordan na lista de melhores marcadores, coisa que acontecerá mais jogo menos jogo, e um segundo objectivo foi o de provar que continua a ser um atirador temível. Ora bem, o segundo objectivo de Kobe parece-me que já está conseguido, lidera a liga em pontos por jogo, mas e quando conseguir o segundo objectivo? O que lhe restará conseguir? O sexto anel é pura utopia esta época e para a próxima época, com o contrato que assinou de renovação, pelo valor que foi, limita muita a equipa no que diz respeito a atrair grandes nomes na free agency.

 

Mas voltemos a centrar atenções no ditado “burro velho não aprende línguas!”. Kobe deveria ter um papel completamente diferente, quanto a mim, jogar para a equipa, em equipa. Todos sabemos que o rapaz tem a capacidade de atrair 2 ou mesmo 3 defesas, libertando companheiros, ora seria sempre mais fácil, até para ele, passar a um colega livre, ao invés de lançar a bola. Bem sei que ao fim de tantos anos na liga os hábitos tendem a manter-se, cada vez mais enraizados e vincados, mas era bom vermos a replicação de exibições como aquela contra os Raptors, em que Kobe fez tudo de tudo, pontos, ressaltos e assistências, um verdadeiro jogador de equipa.

 

Por isso Kobe, meu rapaz, se alguma vez passares os olhos por este texto, antes de acabares a carreira, pensa nisso, só para se evitar lances como o que está em baixo.

 

Rui Almeida

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE