January 22, 2020

Começa já amanhã a nova edição da Liga BBVA, Liga Espanhola ou “La Liga” como muitos lhe chamam. Começa com um excelente Málaga vs. Sevilha como aperitivo e tem como prato forte o clássico Athletic Bilbao vs. Barcelona de dia 23. Boas entradas, que prometem deixar todos os gulosos do desporto-rei a salivar.

Basta dizer que estamos perante a liga que tem dominado o futebol europeu na última década, arrecadando 5 Champions e 6 Ligas Europa/Taças UEFA, com três finais europeias totalmente espanholas — Sevilla vs. Espanyol (2007) e Atlético vs. Athletic (2012) na Liga Europa; Real Madrid vs. Atletico (2014) na Champions. Basicamente, sempre que uma equipa espanhola conseguiu chegar a uma final europeia, ganhou! Excepto quando apanhou outra equipa espanhola, obviamente uma delas teve que perder, seus espertalhões.

Este ano, os eternos rivais Barcelona e Real Madrid partem como os mais fortes candidatos ao título (alguma vez não o são?!?), seguidos de perto por Atlético e Valência que querem intrometer-se cada vez mais na luta pelo título. Quem sabe, talvez algum deles consiga repetir o feito do Atlético de Simeone, em 2014, e terminar a época a festejar a conquista de La Liga.

 

Barça, Barça, Baaaaaarça!

Mas vamos por partes. O Barcelona será porventura o mais forte candidato à partida, era impossível não o ser depois de ter conquistado Liga, Champions, Taça de Espanha e, mais recentemente, a Supertaça Europeia num jogo épico contra… o Sevilla. A equipa orientada por Luis Enrique manteve grande parte do plantel, perdendo “apenas” o capitão Xavi que aos 35 anos rumou ao Al-Sadd do Catar para fazer o que todos os futebolistas fazem quando rumam a essas paragens, ganhar muito dinheiro — mas não sem antes levantar a sua quarta Taça de Campeão Europeu (quinta do clube). Se juntarmos à base forte do ano passado jogadores como Arda Turan (ex-Atlético) e Aleix Vidal (ex-Sevilla), o Barça parece preparado para atacar de novo o título em força.

 

Hala Madrid!

O Real Madrid deu guia de marcha a Ancelotti e contratou Rafa Benítez para tentar conquistar o título espanhol que já lhe escapa desde 2012 (apenas o terceiro dos últimos 10 anos). Para isso, o Real perdeu Khedira — que há muito parecia não fazer parte das contas do clube — mas, mais surpreendentemente, perdeu Iker Casillas que rumou ao FC Porto. Será estranho olhar para a baliza dos merengues sem ver lá o miúdo que se estreou na baliza blanca com apenas 17 anos. Para suprir a ausência de Casillas o Real foi buscar… Casilla ao Espanyol (embora De Gea continue a ser hipótese). Houve ainda a contratação do ex-FC Porto Danilo e o retorno de Casemiro. Com jogadores como Ronaldo, Bale, James, Benzema e Kroos, os merengues serão sempre uma equipa a ter em conta em todas as competições em que entram… mas não parece suficiente para ameaçar a supremacia blaugrana da última década.

 

Atleti!

O Atlético de Madrid continua a ser a máquina bem oleada de Diego Simeone, uma equipa totalmente construída à imagem do seu treinador: combativa, matreira e consciente do que tem de fazer para chegar aos seus objectivos. Viu Turan rumar ao Barcelona, Mandzukic saiu para a Juventus e Miranda para o Inter (ainda teve tempo para vender Jiménez ao Benfica), mas reforçou-se muitíssimo bem, com jogadores como Jackson Martínez (ex-FC Porto), Ferreira-Carrasco (ex-Mónaco), Vietto (ex-Villarreal), Savic (ex-Fiorentina) e o regresso de Filipe Luís (ex-Chelsea). Se lhes juntarmos os resistentes Koke, Tiago, Griezmann e o retornado Óliver (que parece vir a ter um papel preponderante nesta nova época), os colchoneros estão mais do que preparados para enfrentar a próxima época com um sorriso nos lábios e boas hipóteses de levantar um título no final.

 

Valencia!

A equipa orientada por Nuno Espírito Santo não perdeu nenhum jogador de relevo. Manteve quase a totalidade dos jogadores que alcançaram a qualificação para a Champions e ainda se reforçou com Bakkali (ex-PSV), Cartabia (ex-Córdoba) e Danilo Silva (ex-Sporting de Braga) que, juntamente com grandes jogadores como os nossos bem conhecidos Enzo Pérez, André Gomes e Rodrigo e outras figuras como Paco Alcácer, Parejo e Negredo, prometem fazer uma boa época. Otamendi (ex-FC Porto)acabou de assinar pelo Manchester City, mas o conjunto ché já tem debaixo de olho Garay (Zenit) para poder reforçar o plantel.

Tem um bom conjunto de jogadores, com várias soluções, juntemos-lhe a sagacidade de Nuno Espírito Santo — que passou de treinador que seria mais provavelmente despedido a revelação de La Liga — e o Valencia andará na luta por um lugar na Champions mas não deve ir além disso.

 

Factos Curiosos:

A Liga Espanhola é aquela que tem maior percentagem de jogadores nascidos no país da competição, uns impressionantes 62,5% (342 jogadores). Especialmente se compararmos com os 51,9% (275) da Bundesliga, os 47,2% (282) da Serie A ou os meros 36% (232) da Premier League.

Os clubes com mais participações na prova são Athletic Bilbao, Barcelona e Real Madrid. Os três já participaram em 84 edições de La Liga — num total de 2686 jogos —, sendo os únicos clubes que nunca desceram de divisão.  Algo impressionante no caso do Athletic, que continua com a sua política de apenas alinhar com jogadores bascos ou provenientes da sua formação.

O melhor marcador da história da competição é Lionel Messi (286 golos). O nosso Cristiano Ronaldo segue em sétimo lugar com 225 golos mas com boas hipóteses de chegar já esta época aos 251 que mantêm Telmo Zarra no segundo lugar.

 

Paulo Correia

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE