December 15, 2017

Disputou-se este fim-de-semana a nona semana da fase regular da NFL, o que faz com que metade desta tenha passado. Estamos prestes a entrar na fase que separa os verdadeiros candidatos dos restantes. Vamos agora ver o que já se fez, divisão por divisão.

 

AFC Norte

 

 

Na AFC Norte os Pittsburgh Steelers têm a divisão sob controlo, com 6 vitórias e duas derrotas, vantagem confortável sobre os Baltimore Ravens, que registam 4 vitória e 5 derrotas e têm tido uma época marcada pela irregularidade. Os Ravens são uma equipa capaz de vencer em Oakland e na semana seguinte perderem em casa com os Bears. Atrás desta dupla vêm os Cincinnati Bengals com 3 vitórias e 5 derrotas, enquanto que no último posto vão, sem surpresa os Cleveland Browns que contam por derrotas os 8 jogos disputados. Os Pittsburgh Steelers têm sido competentes no ataque e arrasadores na defesa, tendo a segunda melhor defesa da liga, concedendo 131 pontos, média de 16.4 por jogo. Esta defesa deverá levar a equipa no mínimo à final da AFC e fazer dos Steelers a única equipa da divisão a marcar presença nos playoffs.

 

AFC Sul

 

 

A AFC Sul está a ser uma divisão interessante de seguir, marcada por muitas lesões em jogadores importantes. Vejamos: Andrew Luck (Indianapolis Colts) foi operado ao ombro, esperava-se que jogasse esta época, mas foi recentemente colocado na lista de jogadores que não serão utilizados esta época; os Houston Texans ficaram sem JJ Watt, Whitney Mercilus e Deshaun Watson, todos pedras importantes na defesa (Watt, Mercilus) e no ataque (Watson). Com todas estas lesões, Tennessee Titans e Jacksonville Jaguars têm controlado a divisão, embora matematicamente esteja tudo em aberto. Titans (5V-3D), Jaguars (5-3), Texans (3-5) e Colts (3-6) têm todos hipóteses de vencer a divisão e qualificar-se para a fase decisiva, embora tudo aponte para que Titans e Jaguars disputem entre si a AFC Sul. Realce para o facto de Jacksonville registar neste momento a melhor defesa da liga, com apenas 117 pontos permitidos, 14.6 por jogo e liderarem também a tabela de sacks (derrubar o QB com bola) com 35. A “peça” que poderá travar os Jags é o seu quarterback. Blake Bortles não está ao nível necessário para carregar a equipa às costas, pormenor que numa fase decisiva marca a diferença. Já em Tennessee a imagem de marca é o jogo em corrida, com DeMarco Murray e Derrick Henry a fazerem as despesas do jogo. Dito isto, não seria surpreendente que Jaguars e Titans se apurassem ambos para os playoffs.

 

AFC Este

 

 

Esta divisão tem sido “propriedade” dos New England Patriots desde que Bill Belichick e Tom Brady se juntaram no Massachusetts e isso não deve mudar este ano. Os campeões em título demonstraram até esta fase alguns problemas defensivos, que parecem estar a melhorar.Nos primeiros quatro jogos os Patriots permitiram 128 pontos aos adversários, enquanto nos últimos quatros jogos sofreram apenas 51 pontos. Uma melhoria clara, que colocou os Patriots na liderança da divisão, com uma vantagem curta, mas a previsão é que daqui para a frente a equipa se distancie mais e a estrada para o Super Bowl passe novamente por Foxborough. Tom Brady continua a jogar a um nível elevadíssimo aos 40 anos, notável. Os Patriots estão neste momento com 6 vitórias e 2 derrotas, seguem-se os Buffalo Bills com 5 vitórias e 3 derrotas. A equipa orientada por Sean McDermott tem o seu jogo alicerçado na segurança defensiva (quarta melhor da liga), no jogo em corrida e em vencer a batalha dos turnovers, dado em que a equipa é a melhor com uma margem de +11. O resto da divisão inclui Miami Dolphins com 4 vitórias e 4 derrotas, mas que parecem não saber o que andam a fazer (mandar Ajayi para Philadelphia, really??) e New York Jets (4 vitórias e 5 derrotas) que, apesar de tudo, têm sido uma boa surpresa e contam neste momento quatro vitórias acima do previsto.

 

AFC Oeste

 

 

Na AFC Oeste temos algumas surpresas, uma vez que se previa que a divisão iria ser mais equilibrada. Neste momento temos Kansas City Chiefs lideram com 6 vitórias e 3 derrotas, têm em Kareem Hunt o melhor running back da liga em jardas ganhas (800), têm um bom ataque, mas a defesa não tem ajudado. Seguem-se os Oakland Raiders (4-5), mas de quem se esperava mais. A defesa é a terceira da liga em pontos permitidos e o ataque tem estado aquém das expectativas. Derek Carr (já falhou um jogo por lesão) é apenas o 15º quarterback no que se refere a jardas em passe e o 13º em jardas por jogo. Além disso este ano já regista 7 intercepções contra 6 em toda a época passada. Marshawn Lynch também não está a ter o impacto esperado, sendo apenas o 29º running back em jardas conquistadas (323, média de 3.8 por corrida). Mais afastados vêm Los Angeles Chargers e Denver Broncos, com 3 vitórias e 5 derrotas. Denver tem sido a grande desilusão desta divisão. A defesa continua a ser das melhores da liga, o grande problema está no ataque. A linha ofensiva não funciona, permitindo já 28 sacks (3º pior registo da competição) e fazendo com que os seus quarterbacks tenham que correr pela vida ou lançar sob pressão o que resultou em 12 intercepções (piores só os Browns).

 

 

NFC Norte

 

 

Mudando de conferência, mas mantendo a orientação geográfica, comecemos pela divisão que teoricamente deveria”ser” dos Green Bay Packers. Provavelmente seria, até Aaron Rodgers se lesionar. O quarterback de Green Bay lesionou-se em Minnesota, teve que ceder o seu lugar a Brett Hundley e os Packers não voltaram a vencer desde então. Quem tem aproveitado são precisamente os Minnesota Vikings, que merecem inteiramente estar na frente da divisão, mesmo estando a ser comandados pelo terceiro quarterback do depth chart, Case Keenum, que está a caminho da melhor época da sua carreira. Teddy Bridgewater regressou agora de uma brutal lesão num joelho e Sam Bradford apenas fez dois jogos esta época devido a lesão também no joelho. O ataque tem sido competente, mas a defesa tem sido elite. Com 6 vitórias e 2 derrotas os Vikings estão no rumo certo para vencerem a divisão. Seguem-se Lions e Packers com 4 vitórias e 4 derrotas e por último os Chiago Bears com 3 vitórias e 5 derrotas. Algo que não seja a vitória dos Vikings nesta divisão seria uma enorme surpresa.

 

NFC Sul

 

 

Já nesta divisão tudo se encontra bastante equilibrado. Os New Orleans Saints lideram a divisão com 6 vitórias e 2 derrotas e têm surpreendido, principalmente pela performance defensiva, muito acima do previsto. Drew Brees continua a ser um dos melhores quarterbacks, sendo neste momento o terceiro melhor da competição em termos de rating. O jogo em passe é o 4º melhor da liga e o jogo em corrida é o 7º e os Saints são a 2ª equipa da liga em jardas ganhas por jogo, com 392.5. Já os Carolina Panthers estão em recuperação da época má de 2016 e têm a melhor defesa da liga, liderados por Julius Peppers e Luke Kuechly. O ataque não tem ajudado muito, Cam Newton regista o segundo mais alto número de intercepções (11, tantos como DeShone Kizer dos Browns) e a equipa é apenas a 21ª melhor a atacar. Mais atrasados e a decepcionarem estão os Atlanta Falcons. Os derrotados do último Super Bowl ficaram sem o coordenador ofensivo Kyle Shanahan e o ataque tem-se ressentido. Os Falcons têm o sexto ataque em jardas ganhas por jogo (372.0), mas são apenas a 19ª equipa a marcar pontos (170) e a 17ª em pontos por jogo (21.2), enquanto em 2016 foram segundos em jardas por jogo, mas foram os melhores a marcar pontos (540) e em pontos por jogo (33.8). A maior diferença tem sido o jogo em corrida, área em que os Falcons foram os quintos melhores em 2016 ao passo que este ano são apenas a 15ª melhor equipa. No último lugar da divisão estão os Tampa Bay Buccaneers, com 2 vitórias e 6 derrotas. Os Bucs têm sido uma desilusão, esperava-se mais de Jameis Winston, DeSean Jackson e companhia, após a época passada terem falhado por pouco a ida aos playoffs.

 

NFC Este

 

 

No Este moram aquelas que na minha opinião são a segunda maior surpresa agradável (a primeira são os Rams, mas lá chegaremos) e a maior desilusão. Começando pela surpresa agradável, até porque lideram a divisão, os Philadelphia Eagles, com 8 vitórias e uma derrota, o melhor registo da liga. Os Eagles são a quinta equipa em jardas ganhas por jogo (377.0), mas são a equipa mais concretizadora (283 pontos totais, com a segunda melhor média, 31.4 por jogo). Carson Wentz deu um espantoso salto qualitativo, sendo neste momento o jogador com mais passes para touchdown, 23 contra apenas 5 intercepções. Em toda a época passada passou para apenas 16 touchdowns. A defesa tem sido competente e o ataque viu chegar recentemente Jay Ajayi, como já tinha mencionado, que se veio juntar a LeGarrette Blount (uma excelente aquisição na free agency), permitindo aos Eagles uma enorme variedade ofensiva que ninguém tem conseguido travar. A única coisa que poderá impedir Philadelphia de marcar presença no Super Bowl será alguma inexperiência nos playoffs. Em perseguição aos Eagles vêm os Cowboys com 5 vitórias e 3 derrotas e os Washington Redskins, com 4 vitórias e 4 derrotas. Os Cowboys, liderados por Dak Prescott e Ezekiel Elliott. Prescott é o quinto melhor em passes para touchdown com 16 e Elliott é o melhor em touchdowns em corrida com 7 (igualado com Gurley, dos Rams) e o segundo no total de jardas ganhas (783, média de 97.9 por jogo). No geral o ataque é o quinto melhor a marcar pontos e o quarto melhor em pontos por jogo, mesmo sendo o 21º ataque em jardas e o 17º em jardas por jogo. A defesa também tem estado bem, principalmente as duas primeiras linhas defensivas. Dallas é a terceira equipa com mais sacks (27.0) e Demarcus Lawrence o segundo melhor jogador nessa área (10.5). Com dois jogos contra Philadelphia pela frente os Cowboys podem ainda sonhar em vencer a divisão. O único ponto negativo poderá ser a suspensão de que foi alvo Ezekiel Elliott, acusado num caso de violência doméstica, suspensão essa que já foi aplicada e suspensa pelo menos duas vezes, algo ridículo. Muito próximos estão os Washington Redskins, mas contam já derrotas em jogos contra Dallas e contra Philadelphia e apesar de Kirk Cousins estar a jogar muito bem (passer rating de 102.0, sétimo melhor, 2147 jardas, 13 TD e 4 intercepções) os Redskins deverão ficar pela fase regular. Por último, com apenas uma vitória e 7 derrotas temos os New York Giants. Perderam Odell Beckham Jr por lesão com reflexos óbvios no jogo em passe, o jogo em corrida não existe, a defesa tem-se revelado bastante permeável e os Giants parecem destinados a competir pela primeira escolha do próximo draft.

 

NFC Oeste

 

 

E terminamos na NFC Oeste, que ainda recentemente era considerada a divisão mais forte da NFL, com Seahawks, 49ers e Cardinals muito fortes. Agora o panorama é bastante diferente. A divisão é liderada pelos Los Angeles Rams, com 6 vitórias e 2 derrotas. A chegada de Sean McVay e Wade Phillips revolucionou por completo o jogo dos Rams, principalmente a nível ofensivo. O ataque de LA é actualmente o terceiro em jardas por jogo (382.1), segundo no total de pontos (263) e primeiro em pontos por jogo (32.9). A época passada a equipa teve o pior registo nestas áreas. Jared Goff também tem beneficiado desta evolução, tendo já 13 passes para touchdown em 8 jogos, enquanto em 2016 em 7 jogos teve apenas 5 touchdowns contra 7 intercepções. Todd Gurley também tem estado muito bem, liderando a tabela de marcadores de TD em corrida, igualado com Ezekiel Elliott, ambos com7. A defesa tem melhorado (nos primeiros quatro jogos permitiram 105 pontos, nos últimos quatro encaixaram 50) e com Wade Phillips aos comandos (o arquitecto da defesa que carregou Denver à vitória no Super Bowl 50) só pode melhorar. E por falar em defesas de elite o adversário mais forte dos Rams na divisão serão certamente os Seattle Seahawks, que estão com 5 vitórias e 3 derrotas. Com Russell Wilson em boa forma (2305 jardas, 17 touchdowns e 6 intercepções), aos Seahawks falta um jogo em corrida que os adversários respeitem mais. A defesa é de categoria superior, sendo a quarta com menos pontos encaixados (149) e a quinta em pontos por jogo (18.6). Vamos ter uma interessante luta entre LA e Seattle pela divisão e ambas têm hipótese de chegar aos playoffs via wild card.  Já no deserto do Arizona, os Cardinals estão a viver uma época difícil, marcada pelas lesões da sua estrela David Johnson (running back) e Carson Palmer (quarterback). Johnson tem pelo menos mais um mês de paragem pela frente enquanto Palmer pode mesmo estar a ponderar a retirada. Os Cardinals adquiriram recentemente o futuro hall of famer Adrian Peterson, que revitalizou o jogo em corrida de Arizona, mas com a equipa agora entregue ao backup Drew Stanton, não creio que os Angry Birds sejam um factor a ter em conta no que resta da temporada. A fechar a divisão e a liga, temos os San Francisco 49ers. A chegada de Kyle Shanahan para treinador principal não está a dar os resultados pretendidos, a época está perdida e os californianos estão já a preparar o futuro, como se percebe pela troca por Jimmy Garoppolo. O ataque é mau e a defesa péssima. No Levi’s Stadium os fãs só esperam que 2018 chegue depressa.

 

 

 

Uma nota final para referir que a época tem sido marcada por protestos pacíficos da parte dos jogadores contra a violência policial e a discriminação racial. Estes protestos não caíram bem junto de muitas pessoas, começando pelo presidente dos Estados Unidos (que não tem nada que se meter nestes assuntos), passando pelo comissário da NFL Roger Goodell e alguns proprietários (e adeptos) de várias equipas. Antes de serem jogadores de futebol americano, todos são seres humanos, na sua maioria com trabalho desenvolvido juntos das comunidades locais (seja nas cidades onde jogam ou nas cidades de origem) e por isso têm todo o direito a manifestar as suas crenças. Que se saiba, por enquanto os EUA ainda são uma democracia e por isso não poderão calar os protestos.

 

Nuno Fernandes

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE