October 19, 2018

 

Depois de um início de época perto do patético, os adeptos do Benfica têm questionado as competências de Rui Vitória. Questões que só tiveram paralelo no arranque do treinador ribatejano ao serviço dos encarnados, entre Agosto e Dezembro de 2015.

 

Depois, à custa da conquista de 2 campeonatos, uma Taça, e de duas passagens consecutivas aos oitavos da Champions, Rui Vitória logrou crédito junto da massa adepta. Mas, para os mais atentos, os títulos apenas disfarçaram o pouco futebol que o Benfica apresentou nestes dois últimos anos e meio.

 

O jogo do Benfica, e sobretudo a sua regularidade, nunca foi tão mau quanto hoje, mas nunca se vislumbrou nos encarnados o mesmo nível de futebol do que nalgumas – boas – épocas do antecessor de Rui, Jorge Jesus.

 

Rui Vitória teve o mérito de cimentar onzes e de estabelecer algumas dinâmicas. Foi, no entanto, incapaz de ser astuto estrategicamente. Nos duelos perante adversários de igual ou maior valia, o Benfica foi quase sempre ultrapassado. Contra os mais pequenos foi vencendo e foi, no mais, o que lhe valeu.

 

Esta temporada, sem a capacidade de ter um onze fixo, e com dinâmicas horríveis, especialmente apontando para a defesa, o Benfica nem aos pequenos consegue superiorizar-se.

 

No meu entender, apesar disto, Rui Vitória ainda tem muito crédito junto de Luís Filipe Vieira. O homem forte do Benfica não vai deixar cair o treinador benfiquista, bom falante (para quem gosta de futebol, Rui nem isso é), e submisso aos constantes atentados ao plantel. Além disso, Luís Filipe Vieira, incauto no que ao futebol, especificamente, diz respeito, olha somente aos resultados. Luís Filipe Vieira, em 2011, na temporada avassaladora de Villas-Boas no comando do FC Porto, manteve Jorge Jesus, não porque o actual técnico do Sporting era competente, mas porque JJ tinha ganho o campeonato no ano anterior. E manteve-o por mais duas épocas -as de Vítor Pereira – ausentes de títulos à custa do primeiro campeonato conquistado.

 

Imagine-se, então, a empatia que Vieira terá por Vitória. Se JJ se manteve no Benfica quatro anos com 1 campeonato, imagine-se quanto tempo ficará Vitória, que já venceu 2.

 

Em perspectiva, Rui Vitória vai ficar, com toda a certeza, até ao final da presente temporada, considerando, inclusivamente, um 3º ou mesmo 4º lugar – acrescente-se que este ano o 3º não dá acesso à Champions.

 

No defeso do Verão de 2018, o Benfica vai investir no plantel e dar mais condições a Vitória, que poderá conseguir disfarçar a sua inépcia nos primeiros meses. Depois, o futebol voltará a ser sôfrego mas, mesmo assim, Vitória vai ficar até ao fim.

 

Por isso, Rui Vitória, a sair do Benfica, sairá somente no final de Maio de 2019. Preparem-se: o crédito de Rui é quase ilimitado.

 

Pedro Manuel Magalhães

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE