December 8, 2019

 

Para os fãs de futebol, não é necessário apresentar Marcelo “El Loco” Bielsa. Deus vivo para os fãs do Newell Old Boys, capaz de vencer o Torneio de Abertura do campeonato argentino, com defesas centrais de 19 anos de idade (Mauricio Pochettino e Fernando Gamboa), e assim sagrar-se campeão argentino em 1991. Não vou entrar mais em detalhes sobre as seguintes temporadas de Bielsa no Campeonato Argentino, só as as suas regras complexas mereceriam um artigo isolado… Dizer apenas que foi novamente campeão, desta vez com o Vélez Sarsfield, finalista da Liga Europa com o Athletic Bilbau e medalha de ouro com a Seleção argentina nos Jogos Olímpicos. Palmarés interessante, para quem nunca treinou equipas de top (na Europa). Não é necessário, mas pode ser uma boa pista para perceber sua súbita saida do Marselha (OM). Bielsa foi capaz de deixar o Espanyol de Barcelona depois de apenas seis jogos no banco. Só isso já deveria ser um sinal de alarme para todos os presidente de clubes à procura de um mínimo de estabilidade. O seu apelido de El loco é o resultado dos seus metódos e reflexo da sua personalidade. Um homem que gosta de ter controlo sobre tudo, e que gosta de construir da base até o cume. Os fãs do Atlas, no México, ainda agradecem por ter reconstruido o clube desde a base antes de treinar a primeira equipa. Tomou o controlo do centro de treino, a fim de treinar os jogadores, mas também os formadores!!! Se podemos fazer uma comparação, Mourinho é um piloto de Fórmula 1 que assume o comando de um Ferrari, enquanto Bielsa é um mecânico que quer construir o veículo que conduzirá depois.

Loco

 

Todo este percurso fê-lo chegar ao Stade Vélodrome no dia 02 de maio de 2014. Chegado a Marselha de modo a ocupar o lugar de José Anigo, que tinha substituído Elie Baup, demitido depois de ter conseguido ser o único treinador de uma equipa francesa a não conseguir somar um único ponto durante a fase de grupos da Champions. Portanto, com um palmarés recheado, e a imagem de construtor, o OM, que pretendia ser o Dortmund do futuro, sentia falta do que Bielsa levava, mas a sua chegada a França foi tudo menos unânime. Se os adeptos dão as boas-vindas ao messias, os comentaristas só veem um treinador estrangeiro, com métodos questionáveis, tomando o lugar de um treinador francês. Se somarmos a isso a comunicação difícil e um homem mais perto de ser autista do que one man show percebemos o porquê de tanta contestação à sua chegada, apesar de ter um palmarés quase igual ao futebol francês inteiro.

Assina por duas temporadas, sem ter oportunidade de jogar nas Taça Europeias (o OM não se qualificou pela primeira vez em 9 anos). Antes mesmo de jogar, ainda mal começou a temporada e já é notório o confronto entre o treinador e seu presidente, Vincent Labrune, publicamente acusado de mentir, e não respeitar a sua palavra a respeito de contratações. Apesar disso, o OM tem oito vitórias consecutivas e sagra-se campeão de Outono (primeiro lugar na primeira fase do campeonato). O suficiente para fazer dele um Deus para os fãs, mas ainda não suficiente para convencer os jornalistas, que o acusam de escolher táticas muito ousadas: um pressing intenso e sem parar e defesa individual quase no campo inteiro!!! Alternando entre 3-3-3-1 e 4-2-3-1, com o lema de sempre ter um defensor a mais que os avançados adversários e praticando um futebol ofensivo, que a Ligue 1 mal conhece. Para os críticos, estes resultados desportivos no início da temporada, são apenas o rosto de ouro da Bielsa, conhecido por pedir muito aos jogadores, que, muitas vezes, acabam chegam exaustados ao fim da temporada. O final do campeonato confirmará isto mesmo, para grande pesar dos torcedores do Marselha, mas para o deleite dos jornalistas, sempre desejosos de mostrar quando têm razão (ainda mais, porque isso acontece muito pouco).

bielsa (marcelo)

glacière-bielsa

 

O Marselha vai terminar a temporada no quarto lugar, depois de duas eliminações em taças nacionais (incluindo uma contra o Grenoble da quinta divisão) e apesar de ter um plantel rico que prometia mais. Mas El Loco ainda tem o apoio dos fãs, orgulhosos pela escolha do seu novo treinador. Orgulhosos de ter treinador com ideias, enquanto o do PSG só tem dinheiro, um treinador romântico, em oposição ao do PSG, vencedor e pragmático, um treinador e por consequência, um clube com uma ideia pura de futebol, quando a corrupção reina no Qatar…

A janela de transferência chega. O OM conhece mais um final de ciclo, com a saida dos jogadores mais importantes (Payet , Ayew, Gignac, Imbula, Fanni), mas Bielsa sabia isso antes de assinar. Para mantê-lo, demonstraram grande confiança no seu trabalho e deram-lhe grande liberdade, apesar dos recursos financeiros limitados, e da submissão total à accionista Margarita Dreyfus. O presidente Labrune conseguiu assinar jogadores que Bielsa queria: Rekic, Manquillo, Sarr, entre outros. Previsões de uma temporada cheia de promessas, a temporada de renovação da OM. Um OM Bielsista.

Quinta-feira, 6 agosto: ocorre uma reunião entre Labrune, o advogado da presidente Dreyfus, o senhor Perez, e Bielsa, a última antes da prorrogação do contrato que seria assinado, como planeado, após o primeiro dia da Ligue 1 na semana passada.

Sábado, 8 de agosto: às 23:30, após a derrota caseira do OM, Bielsa deu a sua última conferência de imprensa como treinador do clube, e, em seguida, tornou pública a sua carta de demissão.

bielsa

 

 

Agora chegamos à parte mais difícil de analisar, os detalhes das promessas contratuais e, claro, as razões e os corações dos actores em causa. Nós podemos apenas dar-vos a versão de cada um.

Bielsa invocou que as promessas não foram cumpridas, e que o advogado do OM mudou partes do contrato, sem aviso prévio do presidente. Aqui vemos instabilidade crónica do OM, onde os papéis nunca são claramente definidos entre proprietários, empregados dos propriétarios, o presidente e o treinador. Mas vemos também um homem capaz de recusar um contrato, se uma virgula foi alterada. Com uma visão, do mundo, dos homens e do futebol à antiga, que não se compadece com o futebol moderno. Uma rigidez ao servicio da liberdade, que ele quer: total.

O presidente, entretanto, afirma que apenas os detalhes (o que é um detalhe?) foram alterados, e que o clube já tinha oferecido a Bielsa a maioria das suas exigências, principalmente no lado desportivo. Presidente corajoso o suficiente para contratar um louco, mas não livre o suficiente, para decidir dos detalhes de um contrato desse mesmo Loco.

 

Choque em Marselha. Um messias vem, mas não vai, normalmente. O OM é deixado com um plantel feito por e para Bielsa, mas sem ele…

Bielsa anuncia o seu retorno à Argentina para descansar.

Queml virá a seguir ? OM quer à força ser o Dortmund francês, sonha com Jürgen Klopp, sabendo que os alemães adoram vir para França com uma geladeira portátil, e continuam a ter uma disponível no Velodrome. Tudo indica que isso vai acontecer. A ver.

Entretanto, Bielsa foi anunciado pelos media mexicanos como o futuro treinado da Seleção Mexicana. Mas este homem que sempre preferirá a honra e respeito, à glória e segurança no emprego, é bem capaz de uma nova loucura, e pode muito bem vir a fortalecer o seu apelido de El Loco

 

[n.d.r.: Ontem, talvez porque tenham tido conhecimento do mesmo, já depois do Arnaud nos ter enviado este artigo, o espanhol Michel foi confirmado como o novo treinador do Olympique de Marselha].

 

Arnaud Swiac

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE