September 20, 2018

Sabendo dos resultados recentes do F.C. Porto, é com alguma incerteza que aguardo o próximo adversário: Sevilha.

Olhando para os últimos embates entre ambos, seria de esperar uma eliminatória relativamente fácil, mas a realidade de outrora já desvaneceu por entre as chicotadas psicológicas a que os adeptos do Porto foram sujeitos. Em suma, o Porto continua frágil a nível defensivo. Com o Nacional demonstrou-se mais uma vez que Abdoulaye não é capaz de manter a concentração durante os 90 minutos e que a equipa sofre golos consecutivamente por falta de capacidade/concentração deste jogador. No entanto, há que salientar a exibição da equipa contra os encarnados de Lisboa, no qual os dragões demonstraram capacidade de controlar e dominar jogos como faziam antigamente, embora agora não consigam manter essa capacidade durante os 90 minutos.

 

Fará sentido exigir a vitória? Atendendo às dificuldades decorrentes das falhas de alguns jogadores do Porto e que o Sevilha remeteu o Real Madrid para o 3º lugar da Liga Espanhola, não se avizinha um jogo nada fácil! Não é por acaso que o Sevilha tem o melhor ataque das competições da UEFA (33 golos em 14 jogos!). Apesar do último adversário do Porto ter sido um respeitável Nápoles (3º na Serie A Italiana), apenas um Porto concentrado e motivado conseguirá não cometer erros defensivos e assim ultrapassar um Sevilha (5º na Liga BBVA Espanhola) que quererá vingar a pesada eliminatória a que foi sujeito em 2011 (época de André Vilas Boas).

 

Importante neste momento será a equipa convencer a massa associativa de que estamos num novo rumo, com melhores exibições e jogadas mais pragmáticas, para que os adeptos sintam que a equipa rende o valor que teoricamente tem.

As provas de fogo que se avizinham serão um teste à competência da nova equipa técnica, embora sejamos realistas: por mais alto que esteja o lume, sem ovos não se fazem omeletes.

Rafael Cunha

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE