December 10, 2018

 

Depois da descida à 7ª posição na época passada, Portugal continua a distanciar-se do 6º lugar, num ranking que é facilmente liderado pela Espanha (mais de 20 pontos de diferença para o 2º lugar – Itália)

 

Numa altura em que a UEFA beneficia os 4 primeiros lugares do Ranking, fazendo com que, por exemplo, entrem os quatro primeiros directamente na fase de grupos da Liga dos Campeões, Portugal vai-se distanciando do 5º (lugar da época passada) e até, do 6º lugar no Ranking UEFA.

 

Na verdade, isto até era normal há muitos anos, quando andávamos constantemente numa “montanha russa”, com várias subidas e descidas, muitas das vezes, de época para época, pela simples razão: Os pontos são divididos pelo nº de equipas, no início da época. Mesmo que uma equipa seja eliminada logo nas primeiras eliminatórias, continuará a fazer parte dessas contas até final da época. Por exemplo, quando o F.C. Porto, de José Mourinho, venceu a Taça UEFA em 2002/03, Portugal beneficiou do facto de apenas ter 4 equipas no início da época, fazendo com que fossemos o 3º melhor país nessa época, em termos de Ranking UEFA, visto que os pontos amealhados pelo Porto, nesse ano, foram divididos por menos equipas do que seriam se tivessem conseguido o mesmo feito, nas últimas épocas. Sabemos, também, que é raro termos duas, três ou até mesmo quatro equipas, ainda em prova, em Fevereiro ou Março.

 

A grande excepção foi mesmo em 2010/11. Com 5 equipas no início da época, fomos o melhor país, em termos de coeficiente, depois da conquista da Liga Europa, por parte do F.C. Porto, com uma brilhante ajuda do S.C. Braga (finalista vencido da Liga Europa), do Benfica (semi-finalista da Liga Europa) e até mesmo do Sporting (eliminado nos 32-avos de final, mas com uma boa contribuição na fase de grupos) e Marítimo (passou duas eliminatórias, contribuindo com 4 vitórias). Para terem uma noção, Portugal iniciou essa época, em 10º lugar e dois anos depois já estava em 6º.

 

Depois desse ano, tivemos o Sporting nas meias-finais da Liga Europa (2011-12) e o Benfica em duas finais consecutivas da mesma competição, nas duas épocas seguintes! Somando tudo isso, chegámos ao 5º lugar, onde permanecemos 5 épocas (de 2013 a 2018), anulando a tendência dos “altos e baixos” de antigamente e colocando Portugal, no top 5 e, conseguindo inclusive, fazer história, ao incluir, finalmente, 3 equipas na fase de grupos da Liga dos Campeões. Mas, o problema é que o Ranking UEFA depende da prestação dos clubes, por países… nas últimas 5 épocas, portanto a época 2010/11, em que fomos os melhores da Europa, no Coeficiente, já não conta actualmente.

 

 

Nos últimos anos, as coisas não têm corrido como esperávamos. O Benfica, depois de anos muito fortes, nas competições europeias (duas finais da Liga Europa seguidas e uma ida até aos quartos-de-final da Liga dos Campeões – eliminados pelo Bayern Munique em 2015/16), tem vindo a eclipsar-se nas últimas duas épocas. A época passada foi um terrível desastre (as águias bateram, inclusive, vários recordes negativos) e esta, também não se adivinha fácil, para a equipa de Rui Vitória, pois estão perto da eliminação, na Liga dos Campeões. Ainda assim, a “descida” do Benfica para a Liga Europa, poderá ser benéfica para Portugal, pois, nessa competição, penso que é justo afirmar, que o clube da Luz, terá mais hipóteses para ir longe e ajudar Portugal no ranking.

 

 

Em relação ao Sporting, tem sido um misto de azar nos sorteios (grupos com Real Madrid e Borussia Dortmund ou Barcelona e Juventus) e, também, de muita incompetência, como as derrotas com os modestos Skenderbeu ou até o Légia de Varsóvia, que fez com que os leões, nem sequer seguissem para a Liga Europa, na época 2016/17. Na presente época, a duas jornadas do fecho da fase de grupos, o Sporting está perto de se apurar para a próxima fase da Liga Europa, tendo conseguindo, inclusive, um excelente resultado esta semana, em Inglaterra, com um empate a 0 frente ao Arsenal (um dos grandes favoritos à conquista do troféu, este ano).

 

Ainda nada está, totalmente, decidido, mas o mais certo, é termos mesmo os dois grandes de Lisboa, entre os 32 finalistas da Liga Europa 2018-19. Apesar de considerar que têm boas condições de passar, pelo menos, uma (ou até duas) eliminatórias, convém frisar que há excelentes equipas nessa competição: Chelsea, Arsenal, Bayer Leverkusen, Sevilla, Lazio, RB Salzburg e ainda, equipas vindas da Liga dos Campeões (Nápoles/PSG/Liverpool, Manchester United/Valencia, Inter Milan/Tottenham). Ainda assim, acredito que, tanto Benfica como Sporting, tenham possibilidades de ir longe na prova, até porque já vimos ambas as equipas a fazer boas prestações nos últimos anos.

 

 

Quem tem contribuído mais, ultimamente, é o Porto. Nas últimas 5 épocas, passou 3 vezes a fase de grupos da Liga dos Campeões, sendo eliminado 2 vezes nos Oitavos-de-Final e uma nos Quartos-de-Final, em 2014/15, frente ao Bayern Munique. Nas outras duas vezes, foi relegado para a Liga Europa, conseguindo por uma vez, os Quartos-de-Final dessa competição. Na presente época, está a 1 ponto da qualificação e, inclusivamente, em caso de vitória no próximo jogo, frente ao Schalke 04, assegura não só a qualificação como, também, o 1º lugar do grupo.

 

 

 

Infelizmente para nós, já temos duas equipas de fora da Competição: O Rio Ave, eliminado pelo Jagiellonia, logo na 2ª ronda de qualificação e o Braga, surpreendentemente eliminado pelo Zorya, na ronda seguinte.

 

 

Com o crescimento notório dos minhotos, principalmente, nas competições internas, é uma pena não vermos a equipa de Abel Ferreira na Liga Europa, onde até poderia ter hipóteses de tentar repetir, por exemplo, a boa época em 2015/16, quando chegou até aos quartos-de-final.

 

Até ao fim da Fase de Grupos, o Porto ainda irá receber o Schalke 04 e viajar até à Turquia para um embate, com o Galatasaray. Já o Benfica, terá um difícil embate em Munique, seguido da recepção aos gregos do AEK, que poderão já estar eliminados (inclusive da Liga Europa), antes do início dessa partida. O Sporting tem dois jogos acessíveis: Deslocação ao Azerbaijão, para um jogo frente ao Qarabag e recepção ao Vorskla Poltava que, muito possivelmente, também já estará eliminado, nessa altura.

 

Nestes 18 pontos que ainda estão em disputa, penso que seria importante para Portugal conseguir, no mínimo, 13 pontos. E eu estou confiante que isso irá acontecer!

 

Miguel Palha

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE