April 23, 2018

Este será o primeiro artigo, dos quatro que pretendo escrever, cada um deles dedicados aos jogadores que mais me deslumbraram com toda a sua elegância, perfume e inteligência dentro das quatro linhas.

 

777 jogos, 122 golos. Estes são os números oficiais de um senhor chamado Rui Manuel César Costa, para quem tudo começou na época 1990/1991 em Fafe. Emprestado pelo Benfica, e após duas temporadas ao serviço das águias – ganhando um campeonato em 1994 – foi contratado pela principal equipa de Florença. Ora na sua primeira pré-época a Fiorentina era o clube convidado para o jogo de apresentação do Benfica. Rui Costa marcou o único golo da partida, e ao marcar não conseguiu evitar que as lágrimas lhes escorressem pelo seu rosto. Rui Costa jogou 7 épocas em Florença, onde fez uma dupla temível com Gabriel Batistuta, vencendo duas Taças de Itália e uma Supertaça, e onde foi considerado em algumas épocas o melhor nº10 do campeonato, tirando o lugar a jogadores como Zidane, que jogava na Juventus na altura.

 

Rui Costa a festejar um golo com Gabriel Batistuta

 

 

Em 2001/2002 transferiu-se para o AC Milan, fazendo parte de uma das melhores equipas que alguma vez passou no campeonato italiano, jogando ao lado de jogadores como Cafú, Maldini, Nesta, Pirlo, Seedorf, etc. No AC Milan ganhou uma Série A, uma Taça de Itália, uma Supertaça, uma Liga dos Campeões e uma Supertaça Europeia. Em 2006/2007, Rui Costa decidiu volta casa para jogar no seu clube de coração até ao final da sua carreira que terminou no final da época de 2007/2008.

 

 

 

Ao fim de 18 anos de carreira ao mais alto nível, apenas nos podemos recordar de toda a sua elegância dentro de campo e da sua magnifica inteligência, onde a qualidade do seu pé direito juntamente com a sua visão de jogo quebraram as mais variadas estratégias defensivas.

 

David Juliao

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE