December 13, 2019

 

Já fiz a minha aposta. É certinho. Não tenho nem sombra nem margem para dúvidas: hoje o Arsenal goleia o Bayern de Munique. É limpinho. Nada está mais no nosso ADN do que conseguir este tipo de feito.

 

Até vou mais longe, não só digo que vamos ganhar como até me atrevo a atirar o resultado final. Estão prontos? O Arsenal vai vencer por estrondosos 4-1 (Alexis (2) Giroud e Theo).

 

Vai ser um resultado e uma exibição histórica, pena que por pouco não suficiente para passar a eliminatória. Vai fazer pôr tudo em perspectiva e no fim do dia, com orgulho redobrado e esperança cega no futuro o Arséne Wenger vai anunciar que assinou a proposta de renovação proposta pelo clube para ficar à frente dos destinos gunners por mais dois anos.

 

Nada grita “the Arsenal way” como esta sucessão desastrosa de eventos, juro que já estou a ver tudo isto desenrolar-se à frente dos meus olhos.

 

Não pensem já que é descabido, concentrem-se na história recente das eliminações do Arsenal na Liga dos Campeões, todas elas nos oitavos de final da competição, e percebam a minha lógica.

 

O ano passado o Barcelona despachou-nos sem apelo nem agravo com 5-1 no total das eliminatórias (0-2 em Londres e 3-1 em Camp Nou), mas há dois anos ficou 3-3 a eliminatória contra o Mónaco. Perdemos 1-3 em casa e ganhámos 0-2 no Stade Louis II. Ficámos a apenas um golo de passar a eliminatória. Foi quase.

 

No ano anterior a esse (2013/2014) o Bayern ganhou 0-2 no Emirates e empatou a 1 na Bayern Arena, perdendo a eliminatória por 3-1, mas em 2012/2013 contra o mesmo Bayern, e novamente nos oitavos de final da Champions, cometemos a proeza de ganhar 0-2 na Alemanha na 2ª mão da eliminatória. Não tivéssemos perdido por 1-3 em casa na primeira mão e tínhamos eliminado os bávaros. Assim ficou 3-3 com vantagem para eles nos golos fora. Novamente a um golo de fazer história… Quase

 

E em 2011/2012 perguntam vocês? É seus esquecidos, nesse ano apanhámos o AC Milan. Levámos 4-0 em San Siro e ganhámos 3-0 em Londres. Acabou a aventura europeia por apenas um golo. Já estão cansados dos quases? Não estejam, pensem apenas que em 2010/2011 calhou-nos em sorte o Barcelona. Vitória por 2-1 na primeira mão em casa. Derrota por 3-1 na segunda mão. Mais uma vez, um golo ditou tudo. QUASE.

 

Depois há mais duas eliminações nos oitavos de final. Em 2006/2007 contra o PSV Eindhoven, perdemos 1-0 na Holanda e empatámos 1-1 em casa (ah, se aquela tem entrado… foi quase) e em 2004/2005 contra o Bayern perdemos 3-1 na Alemanha e ganhámos 1-0 em casa (xiii foi só por um, mesmo Q-U-A-S-E).

 

Aquilo que tenho sempre em mente é que o Arsenal é o clube mais regular do mundo. Fica QUASE sempre em quarto lugar na Premier (6 vezes nos últimos 10 anos), cai QUASE sempre nos oitavos de final da Champions (é assim há 6 anos consecutivos), cai QUASE sempre por uma margem de um golo (4/6). E até apanha QUASE sempre os mesmos adversários (nos últimos 7 Barcelona e Bayern surgiram 5 vezes no nosso caminho). É obra. São tantos quases que já pensei que devíamos mudar de nome para Almost’Arsenal, ou Quas’Arsenal, bem traduzido.

 

Sabendo tudo isto, imaginem que trabalham pra uma casa de apostas. Qual vos parece o padrão que este jogo vai seguir? Lá está, a tal derrota do quase, arquétipo deste novo Arsenal. Sendo que é difícil impedir o Munique de marcar golos, o 4-1 é mais provável que o 3-0, que surtiria o mesmo efeito.

 

Tenho a certeza do que digo. Ou QUASE.

 

Pedro Filipe

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE