July 16, 2019

Estreou-se a 28 de Março de 1993.
Marcou o primeiro golo a 4 de Setembro de 1994.
O mais recente data de 20 de Setembro. De 2015.
Entre o golo #1 e o #300, estão outros 298 tentos e 21 anos.

É nesta realidade aritmética que se funda a sua lenda.

Para além de ser o 2º melhor marcador da história do campeonato de Itália, o seu registo de golos tem uma particularidade que o separa dos demais jogadores que figuram no top de goleadores da Série A: marcou sempre com o mesmo emblema. Repito, arrisco e sublinho:

Marcou, marca e marcará sempre com e pela A.S Roma.

 

Do seu palmarés colectivo constam: um Scudetto (2000/2001); três Taças de Itália (1997/1998; 2006/2007; 2007/2008); duas Supertaças (2001 e 2007), o Campeonato do Mundo de 2006 e o Campeonato da Europa de Sub-21 em 1996.

Troféus individuais
“Capocannonieri” da Serie A na época 2006–07 (26 golos);

Bota de Ouro: 2007;

Guerin de Ouro nas épocas :1997–98, 2003–04;

Óscar do futebol AIC (Associação Italiana de Jogadores): Melhor jogador absoluto: 2000, 2003;

Óscar do futebol AIC (Associação Italiana de Jogadores): Melhor jogador italiano: 2000, 2001, 2003, 2004, 2007;

Óscar do futebol AIC (Associação Italiana de Jogadores): Melhor jogador jovem: 1999;

Óscar do futebol AIC (Associação Italiana de Jogadores): Melhor jogador: 2007;

Golden Foot: 1 2010;

All-Star Team do Campeonato do Mundo de 2006, que a Itália venceu;

Homem do jogo da final Itália-França da Euro 2000;

Presença na seleção ideal do Campeonato da Europa de 2000;

Presença na seleção ideal do Campeonato do Mundo FIFA de 2006;

Incluído no FIFA-100-Lista que assinala os 100 melhores jogadores da História;

Incluído na equipa do ano da ESM (European Sports Magazines): 2000–01, 2003–04, 2006–07;

Jogador mais velho ao marcar na Liga dos Campeões da UEFA: 2014–15.

A verdadeira carreira de tiro, de fogo à peça, que é a carreira de Francesco Totti, começou, como já escrevi, mas nunca é demais repetir, a 4 de Setembro de 1994 contra o Foggia.

 

Ou seja: Totti começou a marcar golos pela AS Roma, ainda o mundo estava para conhecer as Spice Girls ou os Backstreet Boys, o Grunge era rei e senhor das tabelas e o bloqueio da Ponte 25 de Abril deixava a sua marca no último governo de Cavaco Silva.
No ano da Expo 98 em Lisboa, Totti, passa a envergar a braçadeira de Capitão e marca 13 golos na temporada 1997/1998.
No ano seguinte, 1999, Totti atinge a marca dos 50 golos, num jogo da UEFA frente ao Newcastle, tendo como treinador Fabio Capello.
A temporada de 2002/2003 vê o “Capitão Romano” atingir a marca da centena de golos.
Menos de 3 anos depois é atingida a marca dos 150 golos. Fácil.
As duas centenas (200) de golos surgem na época em 2008; 250 em 2011 e 300 nem há um mês.
Ergo: 300/1= 300 golos com 1 emblema.
Ou: 300/1×747= 300 golos; 1 emblema; 747 jogos.
E se lhe juntarmos os 58 jogos pela “Squadra Azzurra” e os 9 golos que marcou, obteremos a cifra de 309 golos em 805 jogos.
Acessível.
O que Totti, Il Re di Roma, Er Pupone, Il Bimbo d´Oro representa é simples, raro e subvalorizado nos nossos dias; Totti significa Amor à camisola, quer dizer Lealdade, é sinónimo de que há valores que são superiores a um preço.

É um exemplo. É História. É para sempre.

 

Não me vou escrever mais por agora.
A vigésima terceira época(!) de Totti na AS Roma, ainda vai no adro e o Rei da Cidade Eterna, ainda tem umas quantas a dizer, a marcar e a ganhar.

No dia em que Totti decida pendurar o gládio e as chuteiras, escreverei, como tributo, um novo texto.
Que seja daqui a uns anos.

 

Ze Pedro

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE