December 8, 2019

 

Ontem acordei com um melão do tamanho do ego do JJ e da euforia dos adeptos azuis e brancos (os verde e brancos estão a descansar da euforia que sentiram depois do jogo do Benfica com o Moreirense e da final da taça da liga… sim, durou até aí). E a culpa de eu estar assim é de quem? #ACulpaÉDoBenfica

 

A culpa é do Benfica porque me habituou a marcar em todos os jogos! Anteonem, não marcou. Aziei. Sou uma mimada.

A culpa é do Benfica porque me habituou a festejar sempre vitórias e anteontem não ganhou. Nem na quinta-feira passada. Aziei. Sou uma mimada.

A culpa é do Benfica porque me habituou a quase não sofrer golos e em 5 jogos já mamou 9. Aziei. Sou uma mimada.

A culpa é do Benfica porque me habituou a ver jogos com lances de criatividade tão habituais que já quase nem os valorizava, com velocidade, com opções… à Benfica! Onde anda esse Benfica? Aziei. Sou uma mimada.

 

Mas o que se passa com o Benfica? O Benfica existe. O Benfica não pode perder. O que se tem passado nos últimos dias é exatamente aquilo que é o nosso futebol hoje: somos todos muito bons a viver a euforia. A exagerá-la ao ponto de depois, quando isto acontece, parecer que nos afundamos numa depressão profunda (eu ainda não cheguei lá, só acordei com um humor de cão) e que o mundo acaba e não conseguimos mais aguentar o bullying que se tornaram as redes sociais hoje em dia.

 

É fácil de perceber o que se passa com o Benfica. Não se consegue estar por cima sempre. Se isso acontecesse isto seria uma monotonia não? Ah, e também há aquela hipótese (para alguns remota) dos outros até estarem melhores que nós, ou a subir… vejam lá, um campeonato relançado, que coisa chata. Gostam de ganhar contra mortos… Há uma onda de lesões que se deve analisar com cuidado, uma sequência de resultados menos positivos que devem servir de alerta. É motivo para se esperar a equipa com petardos e murros na camioneta? Mas quem é que vai à frente ainda, caramba? O Porto (cujo treinador passou de um desenhador em flipchart fatela ao salvador da pátria em alguns dias) mas que ainda não se decidiu quanto ao seu próprio modelo de jogo? O Sporting que continua a ter o mais melhor treinador de todos os tempos (segundo o próprio), mas que alternativas ao Bast Dost e ao Adrien, por exemplo, não tem nenhumas, e tem aquele presidente que um dos motivos da equipa estar como está? Ego gigante + ego super gigante = Sporting. Pura matemática 🙂

 

Vamos lá ter calma. Todos. Os adeptos dos clubes que vão atrás (e que até se vão defrontar daqui a poucos dias), mas principalmente os adeptos do Benfica que anteontem já crucificavam tudo e todos (até o Felipe Augusto que ainda não chegou e já tem rótulos de tudo e mais alguma coisa… parece que não aprendemos nada). Vamos ter calma porque aquele que já foi chamado de tudo menos de treinador ainda lá está, mesmo ausente do banco (por ser reincidente… grande LOL aqui desculpem, difícil não reagir). Aquele que soube levar a bom porto uma equipa que, na época passada também teve uma onda de lesionados e que lançou meninos como o Renato (que ontem tanto me lembrei da falta dele para acordar aqueles 11 marmanjos em campo), como o Gonçalo, que tal como ele teve rótulos atrás de rótulos e que agora [e tanto anteontem] deixa saudades.

 

A minha crença, a minha ambição, a minha certeza do tetra não se esfumou ontem. Sei, repito, sei, que o Rui com a sua calma, cabeça e capacidade de liderar homens vai saber resolver. Sem choradeiras (mesmo com motivos), sem acusações, sem virar as culpas para outrem que não o próprio. Claro que do outro lado temos um Porto a crescer e um Sporting a chorar (mais uma que não resisti, desculpem) mas ainda vão atrás. Não ganhámos nada com 4 pontos à frente e não perdemos nada ainda com 1 ponto à frente. Repito, À Frente. E por favor, não se tornem aquilo de que tanto reclamam. Deixem lá os golos precedidos de faltas e os penaltis por marcar.

 

A hashtag da moda tem de prevalecer até ao fim porque no fim, quando nos estivermos a rir disto tudo (mesmo aqueles benquistas que hoje crucificam e amanhã endeusam) vamos poder dizer que ganhámos e que a culpa… bem, #ACulpaÉDoBenfica. E eu cá estarei, como tenho estado, do início ao fim, a marimbar para o choro dos outros e a continuar a apoiar (com sentido critico) o meu Benfica. Porque isto é um amor que não se explica… e eu amo-te Benfica, que quando ganhas és de todos e quando perdes és só meu (e me causas azia, vá).

 

Susana Silva

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE