December 14, 2019

Esta foi uma semana recheada de emoção. Desde a inesperada tareia que os Kansas City Chiefs deram aos New England Patriots (41-14) à menos surpreendente vitória fácil dos Indianapolis Colts sobre os Tennessee Titans (41-17), pontos abundaram nesta jornada – que também viu resultados gordos para os Packers (38-17 aos Bears), os Giants (45-14 em Washington) ou até mesmo os surpreendentes Cowboys, que derrotaram facilmente os Saints, por 38-17. Mas o que sobressaiu ainda mais esta jornada foi a resiliência de alguns veteranos, contraposta com a ascensão de novos talentos:

 

A (nada fria) vingança de Steve Smith

Todos os fãs dos Carolina Panthers tremeram um pouco por dentro quando Steve Smith foi dispensado este Verão. Por mais “sentido estratégico” que fizesse não renovar com um wide receiver a entrar no crepúsculo da sua carreira, todos sabíamos que o número 89 não é um homem normal. Logo após sair, Smith procurou negociar com uma equipa que jogasse contra os Panthers este ano e prometeu que, quando isso acontecesse, “é melhorar colocarem os óculos de proteção, porque vai haver sangue e vísceras por todo o lado”. Este fim-de-semana, Smith defrontou a sua ex-equipa e, embora não tenha arrancado a cabeça a ninguém à dentada (não totalmente impossível), fez tudo o resto possível para fazer a equipa da Carolina do Norte arrepender-se da decisão. 139 yards, dois touchdowns e uma vitória confortável dos Baltimore Ravens (por 38-10) depois, a mensagem ficou entregue.

 

The Teddy Show

Quando os Minnesota Vikings conseguiram “apanhar” o quarterback Teddy Bridgewater com a última escolha da primeira ronda do draft, o consenso geral foi de que te tinha sido um roubo e de quão bizarro tinha sido que o talentoso jovem tivesse caído tanto nas escolhas. Ainda assim, Bridgewater tinha ainda de esperar pela sua vez para poder mostrar o seu talento em campo. Quando o quarterback titular Matt Cassell se lesionou, chegou a sua vez. E, com a sua primeira oportunidade a titular, Teddy Bridgewater não desiludiu. Mais do que os 317 passing yards, mais do que o facto de ter acertado 19 em 30 passes, mais do que o facto de ter corrido com a bola cinco vezes, num total de 27 rushing yards e um touchdown, mais do que ter liderado a sua equipa a uma vitória sobre os Atlanta Falcons – o que impressionou mais foi, acima de tudo, a calma com que o rookie se apresentou em campo, nunca apressando um passe, sempre com os olhos atentos à sua volta. Temos estrela.

 

Talentos escondidos e… não tão escondidos

Para terminar este nosso texto de hoje, algumas conclusões a que cheguei a ver os jogos desta jornada:

 

O J. J. Watt, um dos candidatos a jogador defensivo do ano, está a tomar-lhe o gosto para marcar touchdowns

 

A NFL é um desporto incrivelmente violento…

 

O wide receiver Stevie Johnson poderia investir numa carreira alternativa no ballet…

 

E o Aaron Rodgers é simplesmente muito, muito bom.

 

Resultados 4ª Semana:

NEW YORK GIANTS – 45 X 14 – Washington Redskins

Carolina Panthers – 10 X 38 – BALTIMORE RAVENS

GREEN BAY PACKERS – 38 X 17 – Chicago Bears

Buffalo Bills – 17 X 23 – HOUSTON TEXANS

Tennessee Titans – 17 X 41 – INDIANAPOLIS COLTS

DETROIT LIONS – 24 X 17 – New York Jets

TAMPA BAY BUCCANEERS – 27 X 24 – Pittsburgh Steelers

MIAMI DOLPHINS – 38 X 14 – Oakland Raiders

Jacksonville Jaguars – 14 X 33 – SAN DIEGO CHARGERS

Atlanta Falcons – 28 X 41 – MINNESOTA VIKINGS

Philadelphia Eagles – 21 X 26 – SAN FRANCISCO 49ERS

New Orleans Saints – 17 X 38 – DALLAS COWBOYS

New England Patriots – 14 X 41 – KANSAS CITY CHIEFS

 

Nota: as equipas que jogam em casa estão à direita, tal como é apresentado nos sites de desporto norte-americanos.

 

Pedro Quedas

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE