December 8, 2019

Depois do combate entre Floyd Mayweather (FM) e Manny Pacquiao (MP), a imprensa desportiva americana tem captado inúmeros episódios, que apenas confirmam que muito daquilo que alimenta o boxe, reside fora do ringue.

Mayweather foi destituído do cinto conquistado no dia 2 de Maio frente a Pacquiao por não ter revertido ou pago cerca de $190,000 (3% dos lucros do combate) como mandam as regras da WBO (World Boxing Organization), quando se disputa um título mundial. Um regulamento incumprido, que acabou por deixar o trono desocupado durante pouco tempo, uma vez que Timothy Bradley ganhou por decisão unânime a Jessie Vargas no passado dia 27 de Junho, sendo oficialmente o novo detentor do titulo mundial de pesos médios.

Floyd Mayweather was forced to vacate his WBO welterweight title on Monday, meaning Cathedral City’s Timothy Bradley is officially the new titleholder following his June 27 win by unanimous decision over Jessie Vargas.

 

Distante de toda a polémica, MP continua a recuperar de uma (suposta) lesão no ombro direito, após o duelo com FM. O Filipino acabou por revelar que mesmo antes do combate já se encontrava lesionado, sendo que não estava nas suas perfeitas condições físicas no dia 2 de Maio. FM não encaixou bem estas declarações, atribuindo ao adversário toda a responsabilidade e imprudência em ter assumido o combate mais importante da sua carreira, com uma lesão no ombro, acusando mesmo MP de desonestidade, falta de integridade desportiva e honra, sendo que apenas não admite que foi justamente derrotado. Esta polémica aquece mais um pouco, quando MP falha a sua primeira consulta pré-operatória, afirmando nas redes sociais que está a recuperar autonomamente em casa. Este episódio, só veio alicerçar de forma incontestável a opinião daqueles que, consideram que o filipino inventou uma lesão, apenas para justificar a derrota perante FM.

 

Noutros ringues, treme o tapete com outros pesos. Wladimir Klitschko e Tyson Fury reacendem os holofotes para o dia 24 de Outubro de 2015. Dia em que se disputa o título mundial de pesos pesados, que introduzirá um pouco de vida, numa modalidade que ainda recupera da unânime decepção, proveniente do combate pobre e escasso entre Mayweather e Pacquiao.

Klitschko, pugilista ucraniano, atual campeão de pesos pesados, aos 39 anos aceita o desafio proposto por Fury. Praticamente nos 40, Klitschko já revelou publicamente que está na fase final da sua carreira e que pretende em breve retirar-se. Fury colocou-se numa posição de adversário obrigatório, ao vencer todos os 24 combates profissionais até agora. Esta série de vitórias inclui uma sobre Derek Chisora – outra das vítimas de Klitschko.

 

Tyson Fury, nascido em 1988, com 27 anos, vem de Manchester. É apontado como um pugilista algo trapalhão e descoordenado, embora tenha melhorado bastante nos últimos anos. A sua constituição física tem sido amplamente criticada, por apresentar repetidamente excesso de gordura. Segundo os especialistas, o pugilista britânico aplicará uma forte pressão desde o início, tentando contornar e evitar o temido jab de Klitschko. O sucesso de Fury poderá contar com um eventual desgaste nos reflexos, destreza e resistência do seu oponente, 12 anos mais velho. Só assim, apenas porque Klitschko não é conhecido por cometer erros. Fury terá de fazer um combate quase perfeito para sair vitorioso.

 

Pedro Lisbon

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE