December 8, 2019

 

Para quem acha que já não há estórias de amor no futebol moderno fiquem com o exemplo de Verón. Saiu cedo do seu Estudiantes de La Plata mas prometeu voltar. Voltou anos mais tarde com a mala cheia de experiência, títulos nos principiais campeonatos por onde passou e sonhos. Muitos sonhos que materializou sobre a forma de promessas. Algo pouco vulgar para um jogador de 31 anos. Mas de vulgar Verón sempre teve pouco, quer pela aparência, quer pela qualidade que punha em cada lance, este 10 à antiga, como já não se fazem.

 

Prometeu voltar antes de terminar a carreira e voltou. Prometeu ganhar os títulos que fugiam ao seu clube do coração há tanto tempo, e ganhou-os todos. Primeiro o título de campeão argentino. Depois a Copa Libertadores. Depois novamente o campeonato e, finalmente, o (mais que merecido) descanso do Brujita (alcunha que ganhou pelo aspecto, vá…, pouco comum), com a sensação de dever (mais do que) cumprido.

 

Aceitou ser director-desportivo do clube sem receber qualquer Peso por isso, até que um dia, depois de mais duas intermitências como jogador ao serviço do clube, se candidatou ao cargo máximo: Presidente. Venceu as eleições de forma esmagadora contra o Presidente que o nomeou director-desportivo e prometeu de que o seu salário seria todo doado às modalidades amadoras do clube. Mais outra promessa que não ficou por cumprir. Tal como a de que levaria a termo a remodelação do antigo Estádio Jorge Luis Hirschi, onde o clube disputa os seus jogos internos (os internacionais são disputados no novo Estádio Ciudad de La Plata, propriedade da Província de Buenos Aires). Para conseguir lotar as arquibancadas do recinto que se estreará brevemente, o agora Presidente Verón voltou a fazer outra promessa, se vendesse antecipadamente mais de 65% da lotação voltava aos relvados. Os hinchas estudantinos cumpriram a sua parte, agora com 42 anos Verón terá de cumprir a sua e tornar-se Presidente-Jogador.

 

Nélson Vivas, antigo lateral da Selecção argentina e do Arsenal, agora treinador do clube, garante que o seu patrão-futuro jogador está na mais plena forma. A estreia deve estar para breve quando começar a fase de grupos da Libertadores. O seu grande sonho é conquistar a prova novamente, agora como dirigente-jogador. No último ano de mandado que mais surpresas terá reservado o destino para os seus estudantes do Rio da Prata? Para o saber talvez seja melhor ir à bruxa, ou à falta de melhor, perguntar ao Brujita…

 

Pedro Filipe

No Comments

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE